Os arquivos de javascript não puderam ser carregados.
logo
Olá seja bem-vindo! | Quinta-Feira, 02 de Outubro de 2014
 

/ Grupo de Oração /



Publicado no dia 00/00/0000 | 16:41:51

Como Atua o Ministério de Intercessão no Grupo de Oração

 

A reunião de oração do GO acontece semanalmente. Conforme a reunião vai crescendo e/ou o núcleo sentir, ele poderá discernir a necessidade de se ter uma equipe de serviço de intercessão.

 

Esta equipe irá ser composta por pessoas que já são participantes do grupo e que em oração serão discernidas pelo núcleo e convidadas pelo coordenador do grupo de oração. Mesmo os grupos que já tenham o ministério de intercessão, o núcleo será sempre o primeiro intercessor do grupo, e é este quem deve orar e discernir semanalmente como o Senhor quer que o grupo seja conduzido (inclusive a palavra que será pregada). Quem tem o ministério de governo do grupo é sempre o núcleo. Por isso os grupos tendo ou não ministério de intercessão o núcleo estará sempre orando pelo grupo e discernindo pessoas que deverão ser convidadas para as diversas equipes de serviços que forem sendo necessárias para o grupo (acolhida, música, crianças, cura, intercessão, etc.)

 

Os intercessores no grupo de oração por serem participantes deste, louvam, cantam, ouvem a palavra pregada. Durante o Grupo de Oração os intercessores estão dentro do grupo, participando e vivendo o Pentecostes. Pede-se que pelo menos um membro da equipe/ministério de intercessão seja membro também do núcleo.

 

A Equipe/Ministério de Intercessão é um grupo menor (equipe de serviço), formado por doze pessoas no máximo (a proporção está relacionada ao tamanho do grupo de oração), que se reúne semanalmente em outro dia diferente da Reunião de Oração, para interceder pelos pedidos das pessoas do GO que geralmente são recolhidos numa cestinha depois de cada reunião de oração e entregues para alguém da Equipe de Intercessão.

 

II. Como formar uma Equipe de Intercessão

 

A equipe/ministério de intercessão é formada pelo discernimento do Núcleo do Grupo de Oração, como todas as outras equipes de apoio do grupo.

 

O Grupo de Oração é uma pequena comunidade e necessita de vários serviços (ministérios) conforme as pessoas vão vivendo o batismo no Espírito Santo e os carismas vão aflorando do meio do povo. O núcleo do grupo de oração é quem tem o carisma de governo e coordenação do grupo, e é o responsável por organizar as equipes que vão sendo necessárias para o funcionamento e crescimento do grupo: acolhida, cura, crianças, intercessão, música, novos, livraria, etc. Cabe ao núcleo discernir as pessoas do grupo que serão chamadas para as diversas equipes.

 

Os servos do núcleo do grupo selecionam alguns nomes (ouvindo também sugestões dadas pelos outros servos do próprio grupo), em sua oração pessoal ouvem o Senhor e confirmam na Palavra de Deus. Num segundo momento partilham na reunião do núcleo, o que o Senhor falou. Os nomes que forem orados e confirmados por todos, deverão ser chamados para a equipe de intercessão. Os nomes que não foram unanimemente confirmados, deverão continuar sendo orados até um maior esclarecimento espiritual.

 

Assim, para formar a equipe de intercessão, o núcleo deve através da oração pedir ao Espírito Santo o discernimento sobre as pessoas que devem formar ou entrar para a equipe, aliados ao jejum e ao pastoreio.

 

Há critérios humanos que também auxiliam na escolha das pessoas, tais como:

 

·   Ser madura na fé, buscando uma vida de oração pessoal diária;

·   Ter vida sacramental (confissão e eucaristia);

·   Ser sigilosa e discreta;

·   Ser assídua ao grupo de oração;

·   Ser obediente e submissa à coordenação do grupo de oração;

·   Ser sincera e humilde;

·   Assumir o compromisso de reunir-se semanalmente para a intercessão.

 

Sabendo, no entanto, que o Senhor não chama os capacitados, mas capacita os escolhidos!

 

A vivência e uma caminhada maior na Renovação Carismática também ajudam, mas não deve ser o principal critério de escolha, pois alguns, pela abertura maior, atingem uma maturidade espiritual e uso dos dons antes dos outros.

 

O grupo deve ter entre 6 a 12 pessoas, dependendo do tamanho do grupo de oração. Alguns membros da equipe de intercessão deverão fazer parte também do núcleo como representantes do ministério, e nesse caso poderão também pregar no grupo e conduzir a reunião do grupo aberto, conforme os carismas que o Senhor for distribuindo para cada membro do núcleo.

 

A equipe de intercessão recebe notícias e orientações do núcleo e deve tomar parte em retiros e aprofundamentos anunciados na reunião, procurando sempre crescer mais na graça e no conhecimento e no seu ministério.

 

Depois de formada a equipe de intercessão, discerne-se qual, entre os participantes, será o responsável pelas coisas práticas, por exemplo, o local onde deverá ser a reunião, de preferência fixa, o mesmo dia da semana e hora; recebimento de cartas, bilhetes, telefones e pedidos de oração. As reuniões da equipe de intercessão deverão ser semanais, sempre em dia e horário diferentes das da reunião de oração.

 

Não há uma autoridade entre os intercessores, pois todos devem buscar a humildade e a vontade de Deus através da revelação do Espírito.

 

III. Desenvolvimento da Reunião da Intercessão

 

Os membros do grupo de intercessão devem preparar-se antes de ir para a reunião na oração pessoal, alguma forma de jejum, reza do terço, devoções pessoais, etc.

 

O local pode ser numa capela, na casa de um intercessor ou numa sala da paróquia. Não há exigência que seja diante do sacrário. O critério de discernimento deve ser a privacidade e a liberdade no Espírito que os intercessores terão no lugar escolhido.

 

Na reunião da intercessão sugere-se que no início se faça a oração de São Miguel Arcanjo, ore-se o Magnificat (Lc 1,46-55), cântico de libertação, pedindo a proteção de Maria Santíssima como mãe e intercessora; a armadura do Cristão (Ef 6,10-17), pedir o dom da humildade (2 Cor 10,4-5), a proteção do sangue de Jesus sobre nós, nossas casas, famílias, trabalhos, etc (cf. 1 Pd 1,18-19; Rm 5,9). Ressaltamos, contudo que essas orações não são “fórmulas mágicas”, devendo ocupar um breve tempo inicial da reunião, e que só terão eficácia se todos os intercessores estiverem abertos e sendo movidos pelo Espírito Santo de Deus.

 

Faz-se então um breve momento com oração de perdão individual, orando-se uns pelos outros, para que sejamos um canal sem obstruções.

 

A intercessão é uma oração de batalha espiritual, por isso todos precisam do sustento da oração uns dos outros. Mesmo durante a semana podemos recorrer uns ao outros para participar e orar por alguma necessidade pessoal, mas deve ficar bem claro que ao iniciar o grupo de intercessão, os interesses pessoais e preocupações ficam de fora, porque nossa prioridade é prestar um serviço aos irmãos. O nosso enfoque passa a ser o que vem nos pedidos de oração.

 

O grupo deve dispor sempre de um tempo para orar, uns pelos outros, por suas famílias, comunidades e ainda, se for o caso, por alguma necessidade ou problema imediato. Esta intercessão é muito importante e para ela deve ser reservar um tempo determinado, tomando cuidado para não absorver o tempo destinado a finalidade principal da reunião: a intercessão pelas necessidades dos participantes do grupo de oração.

 

Cuidado com pessoas que vão para a reunião da intercessão para se servirem de Deus ao invés de servirem a Deus!

 

Depois dessas orações iniciais faz-se um grande louvor, ora-se em línguas com manifestação dos carismas (dom do discernimento, palavra de sabedoria palavra de ciência, visualizações, etc.), que são utilizados durante toda a extensão da reunião.

 

Devemos pedir ao Espírito Santo a maneira como devemos orar por cada situação, exercendo a intercessão profética. Muitas vezes somos movidos pelo Espírito a fazer jejum, rezar o rosário em casa, ou naquele momento fazermos uma intercessão de concórdia. A palavra de ciência ajuda-nos a orar pela causa de alguma situação ou enfermidade. Para isso é preciso fazer silêncio e escuta depois do momento de louvor ou da oração em línguas.

 

A Bíblia deve ser usada como referência para a oração e para algumas confirmações, quanto aos discernimentos. É importante a intercessão ter um caderno com o histórico do que o Senhor está falando.

 

Não é papel da intercessão discernir o andamento do grupo de oração, ao qual pertence, mas sim, suplicar e orar pelas necessidades dos participantes do grupo. O núcleo é o intercessor principal de si mesmo e é quem discerne como será o andamento do grupo de oração.

 

As orações da equipe de intercessão deverão ser inspiradas pelo Espírito Santo, usando-se os dons necessários às realidades dos pedidos, principalmente o dom de línguas. Assim é possível fazer oração por cura, libertação, súplicas, clamor, saturação, conforme a inspiração do Espírito Santo para a pessoa ou situação apresentada.

 

Ao orar-se pelos pedidos dos papéis, caso não sejam lidos, deve-se deixar o Espírito Santo mover a oração, pedindo dons de revelação e impondo-se as mãos sobre eles. No caso de leitura dos mesmos, deve-se sempre guardar sigilo absoluto, até mesmo depois das reuniões entre os próprios membros da equipe. Depois se joga água benta e sugere-se queimá-los para garantir o sigilo.

 

Quando várias pessoas se unem num só espírito e num só coração, há ordem e harmonia e a eficácia da intercessão se faz sentir conforme o equilíbrio que a reunião for sendo conduzida.

 

Cuidado com pessoas que monopolizam ou querem impor seu discernimento aos demais.

 

A Reunião da intercessão deve terminar com louvores e orações de ação de graças, crendo que todas as orações já chegaram diante do trono. Os intercessores devem também colocar aos pés da cruz de Jesus todas as dificuldades, fardos e situações que foram apresentadas naquele dia. O intercessor não leva o fardo dos outros para casa.

 

O tempo de duração da reunião da intercessão deve ser entre uma hora e meia e duas horas.

 

IV. Freqüência à Reunião da Intercessão

 

Assim como a Reunião de Oração, os intercessores não devem faltar às reuniões da intercessão. O dia e a hora do grupo de intercessão devem ser respeitados e levados a sério. A intercessão é um ministério de vida, a pessoa continua mesmo intercedendo fora das reuniões, em sua vida diária, em meio as afazeres. A oração em línguas muita ajuda, bem com a oração do nome de Jesus, oração do coração. Se uma pessoa, mesmo sendo boa intercessora, tem dificuldades em freqüentar a Reunião de Oração e/ou a reunião da intercessão, ela não deve continuar como serva do grupo.

 

Naturalmente doenças, viagens, prioridades de estado (família, estudos) fazem parte da vida dos intercessores, acarretando por vezes ausências que não podem ser vistas como infidelidade à aliança.

 

Para exercer um ministério, o Senhor sempre dá condições para ele. Caso não haja, é provável que não seja a vontade do Senhor ou que a pessoa esteja resistindo ao chamado. Em ambos os casos, devem buscar auxílio no discernimento.

 

VI. Orientações práticas para o Intercessor

 

·           Freqüentar com assiduidade o grupo de oração – O grupo de oração é a base do ministério. Assim os membros de uma equipe de intercessão, que é um serviço do grupo de oração, devem freqüentar assiduamente este grupo para se alimentar, caminhar junto e para prestar atenção às necessidades do grupo.

 

·           Fazer algum tipo de jejum ao menos 01 vez por semana – Mt 6,16-18; Is 58,6-7 – O jejum acompanhado de oração é de grande eficácia. Aconselha-se o jejum proposto por Nossa Senhora em Medjugorje, as quartas e as sextas-feiras. No dia de reunião da intercessão sugere-se uma preparação incluindo penitência ou jejum.

 

·           Revestir-se diariamente da armadura do cristão – Ef 6,13-17 – Como defesa contra os ataques do inimigo, vistamos a Armadura do Cristão todos dias ao levantarmos.

 

·           Rezar diariamente o Rosário e o Magnificat – Lc 1,46-55 – É pedido de Nossa Senhora que rezemos no mínimo o quarto todos os dias. É uma oração de grande valor como ressalta o Santo Padre na Carta Apostólica: “Rosarium Virginis Mariae”.

 

·           Louvar ao Senhor sempre. O louvor é a arma da vitória, o louvor liberta, pois tiramos os olhos de nós mesmos e olhamos para o Senhor. Abrimos os caminhos para Deus agir. Eclo 43,32-33

 

·           Ter uma vida de oração pessoal e escuta – Is 50,4-5

 

·           Ler e meditar a Palavra de Deus – Sempre ir buscar discernimento na fonte da sabedoria que é a Palavra de Deus. A intercessão alimentada pela Palavra tem grande eficácia (cf. Sl 118,105).

 

·           Participar o maior número de vezes por semana da Eucaristia e pelo menos uma vez por mês a Confissão com um sacerdote.

 










RCC Brasil 2005-2010 © Todos os direitos reservados  -  Escritório Administrativo da RCC do Brasil