Ministério para seminaristas envia carta em virtude do dia mundial das Comunicações

alt

Juiz de Fora, 17 de Maio de 2015

Amados irmãos, Graça e Paz da parte do Senhor Jesus!

“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória, a glória que o Filho único recebe do seu Pai, cheio de graça e de verdade” (Jo 1, 14)

                Vivemos em um mundo marcado por uma constante troca de informações. A todos os momentos e por todos os lados somos bombardeados por conteúdos; vivemos num constante processo de comunicação dando assim a liberdade de sermos ousados e afirmar que vivemos numa ‘sociedade da comunicação’.

                O processo de comunicação consiste no cerne de nossa caminhada cristã. O Cristo em toda a sua divindade ao assumir a nossa condição humana no processo de encarnação do Verbo se auto comunica à humanidade. E nesse processo da revelação que conhecemos o Cristo que é o caminho direto para o Pai. No processo de comunicação, o Verbo é a Palavra viva que gera ação e conduz toda a nossa vida cristã, nos indicando o caminho de seu Reino de Amor e Fraternidade. Assim, conhecendo o Verbo encarnado, somos convidados anunciar o seu Reino, comunicar a nossa fé. “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16, 15).

                O chamado ao anuncio do Cristo é parte integral e essencial de todo aquele que busca viver a sua fé de forma viva e eficaz. O seguimento de Jesus passa por um processo de experiência íntima e transformadora que gera em nós um ardente desejo de comunicar a boa nova da Salvação.

                É nesse contexto que celebramos neste dia 17 de maio de 2015 o 49º Dia Mundial das Comunicações, com o tema: “Comunicar a família: ambiente privilegiado do encontro na gratuidade do amor”. O Santo Padre, Papa Francisco, nos exorta a olharmos com carinho as nossas famílias e percebermos que ali temos um pleno ambiente de comunicação. É na relação íntima do ambiente familiar que vemos os primeiros passos dos novos cristãos e seu primeiro contato com a boa nova através do testemunho de seus pais e parentes. “Muitas vezes, ao adormecerem os filhos recém-nascidos, a mãe e o pai entregam-nos a Deus, para que vele por eles; e, quando se tornam um pouco maiores, põem-se a recitar juntamente com eles orações simples, recordando carinhosamente outras pessoas: os avós, outros parentes, os doentes e atribulados, todos aqueles que mais precisam da ajuda de Deus. Assim a maioria de nós aprendeu, em família, a dimensão religiosa da comunicação, que, no cristianismo, é toda impregnada de amor, o amor de Deus que se dá a nós e que nós oferecemos aos outros” (Papa Francisco, Mensagem do 49º Dia Mundial das Comunicações Sociais, 17/05/2015).

                Comunicação é relação. O ato de relacionar-se com o outro é um processo comunicativo. Assim, dentro mesmo da própria Trindade temos o Pai, o Filho e o Espirito Santo que se relacionam intimamente; existe entre eles um processo de amor e comunicação. Da mesma forma, acontece nas famílias, nas quais a relação amorosa existente entre seus membros gera a comunicação da boa nova.

                O ambiente familiar propicia aos seus membros um ímpeto de saída em prol do anuncio do reino. Somos convidados a testemunhar todo esse amor divino que nos foi apresentado no ventre de nossas famílias a todo o mundo: “A própria família é viva, se respira abrindo-se para além de si mesma; e as famílias que assim procedem, podem comunicar a sua mensagem de vida e comunhão, podem dar conforto e esperança às famílias mais feridas, e fazer crescer a própria Igreja, que é uma família de famílias” (Papa Francisco, Mensagem do 49º Dia Mundial das Comunicações Sociais, 17/05/2015).

                A Família é o seio da comunicação cristã, onde o amor mais sincero faz gerar nos corações o desejo pela vivência concreta do Cristianismo. Assim sendo, vemos que apesar dos grandes benefícios trazidos a nós, os meios de comunicação social podem interferir diretamente nesse processo de comunicação puro que é o seio familiar. Diz-nos o Santo Padre: “Os meios mais modernos de hoje, irrenunciáveis sobretudo para os mais jovens, tanto podem dificultar como ajudar a comunicação em família e entre as famílias. Podem-na dificultar, se se tornam uma forma de se subtrair à escuta, de se isolar apesar da presença física, de saturar todo o momento de silêncio e de espera, ignorando que “o silêncio é parte integrante da comunicação e, sem ele, não há palavras ricas de conteúdo” (BENTO XVI, Mensagem do 46º Dia Mundial das Comunicações Sociais, 24/1/2012); e podem-na favorecer, se ajudam a narrar e compartilhar, a permanecer em contato com os de longe, a agradecer e pedir perdão, a tornar possível sem cessar o encontro. Descobrindo diariamente este centro vital que é o encontro, este “início vivo”, saberemos orientar o nosso relacionamento com as tecnologias, em vez de nos deixarmos arrastar por elas. Também neste campo, os primeiros educadores são os pais. Mas não devem ser deixados sozinhos; a comunidade cristã é chamada a colocar-se ao seu lado, para que saibam ensinar os filhos a viver, no ambiente da comunicação, segundo os critérios da dignidade da pessoa humana e do bem comum” (Papa Francisco, Mensagem do 49º Dia Mundial das Comunicações Sociais, 17/05/2015).

                Nós, enquanto seminaristas, também somos convidados a anunciar o Cristo. No seio de nossas famílias aprendemos os primeiros passos na fé, juntamente das primeiras sementes da vocação lançadas em nossos corações, por meio de tantos exemplos vivos de santidade. Nossos seminários também constituem um ambiente familiar, onde irmãos unidos caminham rumo a santidade.

                Assim, irmãos, somos convidados a ser muito mais do que meros produtores / consumidores de conteúdo, mas sim fiéis anunciadores da Palavra de Deus a qual está presente de forma viva e eficaz em nossas famílias. Somos vocacionados ao anúncio do Reino, do Amor e da Justiça. Anunciadores das Famílias que não consistem apenas numa instituição em crise como dizem muitos, mas sim um terreno fértil para um mundo melhor, o ambiente no qual podem frutificar as sementes do Reino de Deus.         

                 Unamo-nos neste dia em oração por nossos comunicadores, em especial pelas famílias, para que possam, acima de todas as coisas, anunciar a Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, e assim buscarmos sempre o seu Reino e sua Justiça.

Um forte abraço a todos, unidos na Oração.

Edson José Ribeiro Ferreira
Comissão para a Comunicação - Ministério para Seminaristas


Todas as notícias Formação

RCCShop