São José, devoto da Virgem Maria e modelo de oração

alt

“São José a vós nosso amor

Sede o nosso bom protetor

Aumentai em nós o fervor!”

A estrofe desse canto devocional em honra a São José expressa bem o sentimento de gratidão e piedade da Igreja ao guarda da Sagrada Família. De fato, Santa Teresa de Jesus nos atesta que não se lembra de lhe ter pedido algo em que não fosse atendida. Homem silencioso, justo e casto, José em sua pequenez se tornou grande aos olhos de Deus e mereceu ser aquele que conduziria a Virgem Maria e daria a Jesus a paternidade histórica, inscrevendo-o no rol dos descendentes de Davi.

Sabemos de coisas muito interessantes a respeito de São José: um homem de oração, capaz de escutar o Senhor (Mateus 2,13); trabalhador, provendo o sustento de sua família com o seu suor (Mateus 13,55); obediente (Mateus 2,24); casto (Mateus 1,25); Jesus lhe era submisso (Lucas 2,51); piedoso (Lucas 1,22); temente (Lucas 2,33); justo (Mateus 1,19).

Nesse Ano Mariano, vejamos uma característica especial de São José: sendo Esposo da Mãe de Deus, é o Guarda da Virgem Pura, o seu primeiro devoto. Essas duas expressões, tiradas da Ladainha de São José, mostram que Deus quis a participação dele no plano da salvação. Sua maior honraria foi ter por esposa a Esposa do Espírito Santo, a Virgem Maria. Sabendo que estava diante de uma criatura tão pura, imaculada e intacta, São José, inspirado por Deus, guardou a virgindade de Maria. Por isso a Igreja o chama, nesta mesma ladainha, de José justíssimo, castíssimo, prudentíssimo, fortíssimo, obedientíssimo e fidelíssimo. Esses superlativos denotam o elevado grau de santidade do chefe da Sagrada Família.

A santidade de São José pode nos dar muitos exemplos, mas quero evidenciar dois. Em primeiro lugar, que para ter uma vida de oração profunda é preciso o silêncio. Não há nenhuma palavra atribuída a São José na Sagrada Escritura, mas o seu testemunho ressoa por toda a Terra. Ele também nos ensina que o trabalho é um grande meio de santificação, e nas suas labutas diárias conversava e confiava em Deus.

Em segundo lugar, São José nos ensina que o respeito e a veneração pela Santa Mãe de Deus estão intimamente ligados à adoração a Jesus Cristo. Por causa de Cristo, São José guardou a Virgem Maria. Por causa da escuta da Palavra de Deus, ele não teve medo em recebê-la por esposa, em sua casa, mas considerou isso como a maior honra que poderia ter.

Que São José, Protetor da Santa Igreja, olhe sempre por nós!

“Ó Deus, que por uma inefável providência vos dignastes escolher o bem-aventurado São José para Esposo da Vossa Mãe Santíssima, concedei-nos que aquele mesmo que na Terra veneramos como protetor mereçamos tê-lo no Céu como intercessor. Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém”.

 

Padre João Paulo Veloso

Arquidiocese de Palmas/TO

Grupo de Oração Imaculado Coração de Maria

Assessor espiritual do Ministério de Comunicação Social


Leia mais sobre Especial