Palavra de Deus é caminho de intimidade

alt

Setembro é o mês da Bíblia, mês em que a Igreja no Brasil se dedica de maneira especial a motivar os fiéis à leitura e meditação das Escrituras Sagradas. Nós da Renovação Carismática Católica dizemos inúmeras vezes em nossas reuniões de oração que um dos frutos do Batismo no Espírito Santo é um renovado amor pela Palavra de Deus, e como isso é verdade!

É pela ação do Espírito Santo que os textos da Bíblia adquirem um sentido e um sabor tão especial em nossa vida. Sendo apóstolos da efusão do Espírito Santo, somos nós também interpelados por Deus a não deixar esse mês “passar em branco”, mas aproveitá-lo para adquirir perseverança na meditação da Palavra, uma vez que o Espírito que inspirou as Escrituras é o mesmo que nos faz retornar a elas.

Colocar a Palavra em nossa vida cotidiana é trilhar um caminho de intimidade com o próprio Deus.

Quando nos damos a conhecer a outra pessoa, de imediato dizemos o nome, em seguida nossas características: “EU SOU João, eu sou baixo, eu sou engraçado, eu sou…” - Você já percebeu, caro leitor, que com Deus é a mesma coisa? No Antigo Testamento Ele revela o seu nome a Moisés: “EU SOU AQUELE QUE SOU” (Ex 3,14b).

No Novo Testamento revela suas características em Jesus Cristo. Já percebeu o quanto Ele repete a expressão EU SOU? “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14,6); “Eu sou a  luz do mundo” (Jo 8,12); “Eu sou o pão da vida”(Jo 6,35); “Eu sou a videira; vós, os ramos” (Jo 15,5); “Eu sou o Bom Pastor”(Jo 10,11); “Eu sou a porta” (Jo 10, 9); “Vós me chamais de Mestre  e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou”(Jo 13,13).

Deus se permite conhecer por sua Palavra, disponível, não raras vezes, no canto da escrivaninha ou na estante de nossa casa. Ele mesmo já declarou que sua Palavra "não volta sem ter produzido seu efeito e cumprido sua missão" (Is 55,11). Foi essa Palavra que, uma vez anunciada por alguém, promoveu uma mudança no jeito de pensar e de agir, que tocou profundamente tal como “espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma” (Hb 4,12).

Num mundo tão carente de evangelização, que precisa desse mesmo mês para chamar a atenção para o suicídio, quantas pessoas precisam saber que as palavras ditas por Jesus são espírito e vida? É de fato uma guerra que temos de enfrentar. Como evangelizadores carismáticos que somos, temos que ir preparados. Segundo São Paulo, armados com a “Espada do Espírito, isto é, a Palavra de Deus” (Ef 6,17).

Nunca é tarde para retornar às Escrituras! Não importa se já nem lembro quando foi a última Lectio Divina. A Palavra está aí, pronta a animar. Nela posso encontrar a resposta para aquela crise vocacional, para o caso grave daquela família, para os problemas da minha liderança... Por meio dela, Jesus quer ser meu mestre, e fazer-me questionar, como aqueles desesperançosos discípulos de Emaús: “Não se abrasava o coração, quando ele nos falava pelo caminho e nos explicava as Escrituras”? (Lc 24, 32).

Celebrar o mês da Bíblia não é celebrar um simples livro. É celebrar a Palavra divina lida, rezada, meditada e vivida. Que Deus nos ajude nesse firme propósito. Viva a Bíblia! Viva a Palavra de Deus!

 

Roberto Pereira

Articulador do Ministério de Pregação da Região Santa Cruz

Arquidiocese de Belém (PA)


Leia mais sobre Formação