Martírios do cotidiano

alt

“Hoje há mais mártires que ontem! Hoje há mais mártires, os cristãos... Hoje é mais urgente do que nunca a unidade dos cristãos, unidos pelo Espírito Santo, em oração e ação...” (Discurso do Papa Francisco, Vigília de Pentecostes 2017, em Roma)

Sábias palavras do Santo Padre, o Papa Francisco! Estamos vivendo o Martírio!

Esse martírio é para nós cristãos, seja de qualquer denominação. Para aqueles que tiveram a graça de conhecer a doutrina de Jesus Cristo e desejam ser seus discípulos.

No passado, os cristãos eram martirizados para satisfazerem àqueles que os observavam.

Hoje, no palco do circo da vida, no dia-a-dia, somos martirizados para que aqueles que não se interessam pela doutrina de Jesus e os mandamentos da Lei de Deus, sintam o prazer da carne, que os levam a deleitarem-se em seus próprios princípios.

É martírio quando vemos os valores morais, cristãos e cívicos perderem-se pelos caminhos da vida e surgir uma cultura de morte para todos eles.

Vivemos o martírio, quando já não percebemos ou distinguimos o certo do errado e, às vezes, longe de sermos como nos diz São Paulo “não vos conformeis com esse mundo” (Rom 12,2).

Vivemos o martírio, quando encontramos irmãos de caminhada vivendo a troca desses valores, sem perceberem, levados pela concupiscência da carne e os prazeres da vida!

Vivemos o martírio, quando observamos os governantes numa corrida pelo ter, deixando de lado a moral, bons princípios, o amor e caridade ao próximo, roubando-lhes o direito de uma vida digna de ser humano, na qual homens, mulheres e crianças perecem e morrem nos hospitais, por falta de atendimento adequado, em que faltam leitos, aparelhamentos e, até mesmo, medicamentos. Quando vemos faltar o respeito à dignidade do ser humano, na ausência de moradia, oportunidades de estudo, e mesmo a falta do que comer, vestir, etc...

É martírio, quando vemos as pessoas honestas e trabalhadoras reféns do sistema criminoso, em que o crime é propagado como coisa boa, o que motiva sua prática, deixando toda a população apavorada e escondida, procurando a proteção dentro de suas casas, sabendo que até esse lugar não mais está em segurança.

Martírio, para a instituição FAMÍLIA que é achacada a todo o momento, com afirmativas de que esse Projeto de Deus está superado e que precisa ser modernizado!

As dores que sentimos, quando vemos nossas crianças servindo a prazeres carnais e seus algozes (pedófilos) sendo protegidos por um descabido sistema!

Martírio, quando vemos que muitos acham que não precisam de Deus e não conhecem o amor em sua real essência!

Somos a voz que clama no deserto!

Como bem nos disse o Papa Francisco: “Hoje é mais urgente do que nunca a unidade dos cristãos, unidos pelo Espírito Santo, em oração e ação”.

Unidos somos mais!

Que o Espírito Santo nos revele qual o nosso papel nesta luta que não pode parar. “Tudo nos é permitido, mas, nem tudo nos convém” (1 Cor 6,12).

Nós, que recebemos o poderoso Batismo no Espírito Santo, tenhamos coragem de cada um em seu meio, gritar: ”Vamos, reconstruamos. O próprio Deus do céu é quem nos fará triunfar. Nós somos seus servos e vamos reconstruir” (Neemias 2, 18-a; 20).

 

Cleusa Bombonati

Diocese de Palmas e Francisco Beltrão


Leia mais sobre Artigos