ENF 2017 é encerrado com bênção jubilar

alt

A missa de encerramento do ENF 2017 foi realizada na manhã deste domingo (29), no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho. Foi presidida por Dom José Aparecido, bispo auxiliar de Brasília e concelebrada pelos sacerdotes participantes.

Dom José começou a homilia com um agradecimento a Deus, “o Espírito Santo permanece em nós! Te louvamos pelos 50 anos da RCC. Mas dai-nos a graça de não parar na nostalgia da Glória do passado”.

Direcionando a homilia para os sacerdotes que estavam no encontro, o bispo disse: “quantos irmãos vemos pregar melhor que nós, porque falam de um Deus vivo e vivido. E muitas vezes pode nos gerar uma inveja, mas não é necessário se preocupar, pois sempre terá trabalho para nós. Isso se os leigos fizerem a parte deles. Pois teremos que confessar mais pessoas, rezar missas mais vezes”. E reforçou, “Deus toca o coração desses consagrados (padres) para serem meio de misericórdia de Deus”.

Dom José ainda falou sobre a importância dos leigos, quantas vezes eles abrasam o coração dos sacerdotes, por confiarem na misericórdia de Deus e na importância dos sacramentos. Para reforçar a importância dos leigos na Igreja e também na RCC, o bispo contou o testemunho de uma senhora. Ela tinha muita dificuldade com temperamento, era amargura e não gostava de pessoas e nem de estar com os parentes. A senhora acabou descobrindo um câncer, então alguns membros de um Grupo de Oração foram rezar por ela, no primeiro encontrou mandou todos embora, mas eles não desistiram e com o tempo conseguiram convencê-la. Em dois meses ela faleceu. Porém recebeu uma grande cura da alma por meio das orações, se confessou, voltou a conviver com os parentes. Quando estava em estado terminal, uma das pessoas que rezava por ela perguntou - está doendo muito? E ela respondeu da seguinte maneira: “A cruz de Cristo doeu muito mais pelos meus pecados”. Não podemos desistir das pessoas, devemos levar Cristo oportuna e inoportunamente (cf. II Tm 4,2).

Também ressaltou que devemos buscar desenvolver uma evangelização corpo a corpo, um a um. Devemos sair da nossa segurança, evangelizar aqueles que não são católicos e não devemos ir para dizer que somos senhores da verdade e sim para levar Jesus. “O Papa Francisco diz que gostaria de ter uma Igreja pobre para os pobres, não desprezando os meios de evangelização, mas para que não confiemos em nossas próprias forças”, explicou.

Ainda falando do Papa Francisco, Dom José deixou um conselho de sempre carregar a palavra de Deus. Muitas vezes, investimos tempo lendo e relendo mensagens nas redes sociais que são vazias. Porque não ler aquilo que foi escrito com amor pelos dedos de Deus? E fez um apelo a RCC, “aprofundem na teologia, saibamos dar razão da nossa fé. Não para ficar fazendo apologéticas, não que não sejam úteis e necessárias, mas principalmente para evangelizar”.

Falando mais diretamente para a Renovação lembrou que devemos ser missionários, estar nas ruas, praças, estar onde as pessoas estão. “A RCC já entrou na identidade da Igreja do Brasil, mas que lindo seria se as pessoas citassem as palavras bíblicas, mesmo não sabendo de onde vem. Isso é carregar a maior herança que é a fé”, disse o bispo.

Para concluir a homilia, o bispo louvou a Deus pelos 50 anos da RCC, pelas pessoas que se doaram e fizerem parte dessa história, mesmo aqueles que foram para outras religiões. Pediu para que sempre possamos deixar claro para essas pessoas que não as vemos como traidoras, mas sim como nossos irmãos e que somos misericordiosos com o Pai. “A unidade é primordial, pois ninguém é maior que ninguém. Não somos mais que servos inúteis”, finalizou Dom José.

Durante o ofertório em um gesto concreto, todos os Grupo de Oração foram ofertados a Deus. Os nomes foram coletados durante os cinco dias de encontro e também pelas redes sociais e e-mail.

Após a eucaristia, Dom José pediu para que os participantes fizessem um grande louvor a Deus e nesse momento, por meio da Presidente Nacional Katia Roldi Zavaris, o Senhor manifestou em profecia seu imenso carinho para com todos, e pediu para que confiassem em seu inesgotável e infinito amor.

No fim da celebração, Katia agradeceu a todos que de alguma maneira colaboraram com o ENF, desde os membros do Conselho Nacional até os colaborados e voluntários. E para finalizar a celebração Dom José concedeu a bênção jubilar aos participantes do evento.


Leia mais sobre Eventos nacionais