Procissão luminosa pelos 300 anos do encontro da imagem de Aparecida e 50 anos da RCC

alt

A última noite de programação da Festa do Jubileu de Ouro da RCC contou com uma Procissão luminosa, da Basílica velha até o pátio do Santuário Nacional de Aparecida, em alusão aos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, no rio Paraíba do Sul (1717), e os 50 anos da RCC no mundo. As atividades na cidade de Aparecida foram a pedido do Arcebispo, Dom Orlando Brandes, que convidou a RCC a incluir alguma atividade do Jubileu nas festividades do tricentenário de Aparecida. O momento foi conduzido pelo Ministério Jovem da RCC do Brasil, seguido de uma grande noite de louvor, com pregação de Patti Mansfield, momento de oração por cura e muita animação musical.

A procissão foi dividida em dois momentos e marcada por reflexões dos Papas à RCC no mundo. No primeiro momento, participou a chamada “geração Duquesne”, os predecessores do Movimento no mundo e no Brasil, cada um levando um símbolo que significava a essência do movimento carismático. Representaram essa geração: Michelle Moran, ex-presidente do Serviço Internacional da RCC no mundo (ICCRS), Reinaldo Beserra, um dos precursores da RCC no Brasil e Katia Roldi Zavaris, atual presidente do Conselho Nacional da RCC no país. Eles levaram, respectivamente, a Cruz, simbolizando o Senhorio de Jesus, a vela jubilar, representando a graça do Batismo no Espírito Santo e a imagem de Nossa Senhora Aparecida, a Rainha de Pentecostes, a quem a RCC do Brasil é consagrada.

“Jesus Cristo é o Senhor da Renovação Carismática Católica. Maria, Nossa Senhora, foi a primeira quem recebeu o Espírito Santo e a chama representa nosso ardor, nosso compromisso... Essa procissão é uma oportunidade de olhar nossos anos, nossa caminhada e de renovar nosso ‘sim’”, motivou a coordenadora nacional do MJ no Brasil, Danielle Correia (MG), antes da procissão luminosa sair pelas ruas da cidade.

Em seguida, assumiram a procissão os jovens, representando as novas gerações que virão para os próximos 50 anos da RCC. Assumiram, então, representando a juventude carismática: Thayná, coordenadora do MJ RCCRJ, Fred, do MJ RCCPA e Mérisson Santos, MJ RCCMA.

Durante esse momento, o som do carro que conduzia os dirigentes da procissão parou de funcionar. Uma espécie de lembrança da água que faltou na Casa de retiro A arca e a Pomba e os jovens responderam ao sinal com louvor e fé, e o som logo voltou.

Entre cantos e momentos de reflexão, os milhares de carismáticos que acompanharam a procissão pelas ruas de Aparecida, meditaram sobre as palavras dos Papas à Renovação Carismática Católica no mundo. E no final, a profecia de Deus enviada a RCC Brasil, sobre a juventude carismática: “Quem segurará a minha Cruz e o ícone de minha mãe serão os jovens..Estabeleço na juventude minha soberania e o meu poder”! Os dirigentes jovens responderam: “Que venham os próximos 300 anos da RCC no mundo!”.

altA procissão encerrou na Basílica nova, com louvor, orações, show e pregação de Patti Mansfield sobre Nossa Senhora.  E em suas palavras finais, tomando a palavra, a presidente do Conselho Nacional da RCC, Katia Roldi Zavaris, animou os carismáticos à perseverarem e confiarem na intercessão de Nossa Senhora.  “Estamos na casa da Mãe e é como se Ela nos dissesse hoje – enfatizava Katia, durante  oração - ‘Vão! Eu vos acompanharei pelos próximos anos!”. “Passamos dias de glória e hoje, Ele nos encherá com seu poder. Sairemos daqui fortalecidos para levar o poderoso nome de Jesus e para mostrar que  Ele é o Senhor”, conclamava os carismáticos a Presidente.

O momento de louvor terminou com músicas carismáticas do início da RCC no Brasil e a emblemática música da Missão Mensagem Brasil “Eis que faço nova todas as coisas”. 

 


Leia mais sobre Eventos nacionais