Discipulado e missão

altÉ uma alegria poder crer. Nós cristãos sabemos em quem colocamos a nossa confiança. Não vivemos sem rumo, nem andamos perdidos. E a nossa esperança não nos engana. Pois é fiel Aquele que nos chamou, e cumprirá tudo o que nos prometeu. Ser cristão é ter Cristo Jesus como o centro de nossas vidas, a alegria do nosso coração e a razão da nossa existência. Mas esse dom implica também uma tarefa: a missão.

Cada um dos discípulos de Jesus carrega consigo um mandato, ou seja, uma ordem dada pessoalmente pelo próprio Mestre e Senhor Jesus, que diz: Ide e fazei discípulos em todas as nações (Mt 28,18).  Nessa ordem de Jesus fica claro que Ele conta com cada discípulo seu para fazer mais discípulos dele no mundo. Portanto, ser discípulo de Jesus, não é apenas descobrir o sentido da vida e guardar esse tesouro para si. Pois a alegria de seguir a Cristo não se confunde de forma alguma com um sentimento de bem estar egoísta. É preciso compartilhar com outras pessoas essa Boa Notícia, que é Cristo. Em outras palavras o discípulo faz outro discípulo. O Beato João Paulo II dizia que “quem se encontrou com Cristo verdadeiramente tem a obrigação de anunciá-lo”. Mas não é uma “obrigação” que vem de uma imposição externa. Mas é uma “obrigação” que parte de dentro, que brota da consciência e da justiça. Pois se encontrei o sentido da vida por que irei guardá-lo apenas para mim? Pois se há pessoas perdidas na estrada da vida procurando uma direção e eu conhecendo o caminho certo não o torno conhecido, sou a pessoa mais medíocre da face da Terra.

Além da consciência há uma força maior que impulsiona a missão dos discípulos de Cristo: a força que brota do amor. Missão ou é transbordamento ou não é missão. Esse Amor é o Espírito Santo que foi derramado em nossos corações. É o Espírito do Senhor que nos impulsiona, retirando de nós todo medo, toda covardia, todo o respeito humano, fazendo de nós corajosos anunciadores do Evangelho de Jesus Cristo. O Espírito de Deus não nos deixa ser discípulos de Jesus pela metade. Todo autêntico discípulo é também um verdadeiro missionário. Seguir a Cristo significa também anunciar Cristo ao mundo. Portanto, esse mês de Outubro, onde a Igreja reforça o tema da missão, é uma grande oportunidade de rever o nosso discipulado missionário. E se constatarmos que nosso discipulado não nos leva à missão, precisamos desconfiar de sua autenticidade, e se somos missionários que não querem estar aos pés do Senhor, devemos estar preocupados com dois perigos: a esterilidade e o ativismo cego da missão. Pois o mesmo que disse para irmos, também alertou: Sem mim vocês não podem fazer nada (Jo 15,5).

 

Fernando dos Santos Gomes

Comunidade Católica Javé Chammá

Coordernador Nacional do Ministério Jovem


Leia mais sobre Formação