Leão XIII, o papa que consagrou o século XX ao Espírito Santo

alt

No dia 02 de março de 1810 nascia um grande homem para a Igreja Católica. Um nome muito importante e respeitado especialmente na vida da Renovação Carismática Católica: o Papa Leão XIII.

Italiano, batizado com o nome de Vincenzo Gioacchino Raffaele Luigi Pecci, o papa Leão XIII foi ordenado sacerdote aos 27 anos de idade e aos 33 já havia sido nomeado arcebispo. Foi eleito papa no ano de 1878 e permaneceu assim servindo até sua morte, em 1903, aos 93 anos de idade.

Durante o seu pontificado, papa Leão XIII escreveu diversos documentos sobre os mais variados temas, inclusive sobre o pensamento social. Tornou-se ainda mais conhecido na história da Igreja por causa da Rerum Novarum, encíclica que inicia de forma mais aprofundada a reflexão sobre a “Doutrina social da Igreja”.

Em 1886, Elena Guerra, a apóstola do Espírito Santo, já sentia o primeiro apelo interior a trabalhar de alguma forma para divulgar a Devoção ao Espírito Santo na Igreja. Para isto, escreve muitas cartas ao Papa Leão XIII, pedindo para que convidasse os cristãos a redescobrirem a vida segundo o Espírito e a devoção a Ele. E o papa ouviu o próprio Senhor que falava por meio das cartas da simples religiosa italiana!

Foi Leão XIII que escreveu a primeira encíclica da Igreja sobre a pessoa e missão do Espírito Santo, a Divinum Illud Munus , que destacou o Espírito Santo na Santíssima Trindade. A leitura e estudo deste documento influenciou muitas pessoas, incentivando pregações, orações e estudos sobre o papel do Espírito Santo na Igreja.

Na encíclica, o Papa instituiu, por decreto, a novena em preparação para a Festa de Pentecoste e destacou a importância do culto, devoção, anúncio e propagação da Terceira pessoa da Santíssima Trindade. Também foi o sumo pontífice que escreveu e divulgou a Ladainha do Espírito Santo, que recitamos até os dias de hoje. Outros documentos de Leão XIII também podem ser considerados responsáveis pelo o que é chamado de “retorno ao Espírito Santo” dos tempos atuais: A breve Provida Matris Charitate; e a carta aos bispos Ad fovendum in christiano populo.

Todavia, um fato muito notado que trouxe marcas acentuadas na Igreja e consequências para todo o mundo foi a grande celebração Eucarística que marcava a passagem do século 19 para o século 20, na noite de 31 de dezembro de 1990, quando o papa Leão XIII entoou o Veni Creator Spiritus e consagrou todo o século XX à pessoa do Espírito Santo, século de grandes mudanças para a Igreja e para o mundo, bem como a realização do Concílio Vaticano II e o surgimento da Renovação Carismática Católica no mundo. 

Mais de um século mais tarde, ainda é possível sentir o efeito do profetismo do Papa Leão XIII que, com autoridade de pastor e docilidade de servo do Senhor, ajudou a muitos cristãos a abrirem as suas vidas à Santíssima Pessoa do Espírito Santo.

“Resulte disso, como é nosso desejo ardente, que nas almas se reavive e se vigore a fé no augusto mistério da Trindade, e especialmente cresça a devoção ao divino Espírito, a quem de muito são devedores todos quanto seguem o caminho da verdade e da justiça; pois, como afirmou São Basílio, toda a economia divina ao redor do homem, se foi realizada por nosso Salvador e Deus, Jesus Cristo, tem sido levada a cumprimento pela graça do Espírito Santo.“

 (Leão XIII na Introdução da Divinum Illud Munus)


Leia mais sobre Especial