“Santificareis o quinquagésimo ano. Será o vosso jubileu” (Lv 25,10)

alt

Caríssimos irmãos e irmãs, estamos vivendo um tempo forte de graça na Renovação Carismática Católica, um verdadeiro Kairos! Em 2017 celebramos o Jubileu de Ouro da RCC Mundial e agora, em 2019, estamos celebrando o Jubileu de Ouro da RCCBRASIL. Portanto, estamos dentro de uma “atmosfera” jubilar!

O Ano Jubilar foi instituído pelo próprio Deus em favor do povo hebreu e, conforme nos demonstram as Escrituras (Levítico, Cap. 25), não é simplesmente um marco histórico ou o fim de um ciclo cronológico, mas um marco profético para todos, uma verdadeira mudança de época, o início de um tempo novo. É um tempo de revisão do que foi feito e, ao mesmo tempo, de recomeço, um verdadeiro reset.

No Antigo Testamento fica claro que o Ano Jubilar não era celebrado propriamente para celebrar os êxitos e vitórias do povo de Israel, mas uma oportunidade para celebrar a fidelidade de Deus e para fazer memória (em hebraico: ZIKKARÔN) do que Deus havia feito em seu favor, projetando-os a um futuro promissor. Significava, portanto, fazer memória para atualizar a graça e colocá-la em ação; retornar ao primeiro amor para se lançar de forma ainda mais arrojada na graça do Senhor. Nesse sentido, o Ano Jubilar nos leva a contemplar o que Deus fez em nosso favor – “Até aqui o Senhor nos ajudou” (I Sm. 7, 12b) – e, cheios de consolação e ardor, lançarmo-nos a um futuro ainda mais arrojado em relacionamento com Deus, amor fraterno, unidade, evangelização e implantação da Cultura de Pentecostes – O esplendor desta casa sobrepujará o da primeira (Ag. 2,9).

Curioso é perceber a contagem de anos determinada pelo Senhor no Livro do Levítico: “contarás sete vezes sete anos, cuja duração fará um período de quarenta e nove anos... Santificareis o quinquagésimo ano. Será o vosso Jubileu.” Ora, Pentecostes é a Festa de Shavuôt (Festa das Semanas) – Lv. 23, 15-21, isto é, o dia posterior à contagem de sete semanas após a Páscoa. Portanto, é possível dizer que Pentecostes é Jubileu e Jubileu é Pentecostes!

Nesse sentido, estamos vivendo um tempo de um significado muito especial, tempo de bênçãos e de graças especiais (as “comportas” do céu estão abertas de maneira especial sobre nós), tempo de renovação da Aliança, tempo de revigoramento, de regeneração, de resgate, de colheita abundante, não só para a RCC como Corrente de Graça, mas sobre cada um de nós em particular. É tempo de uma poderosa efusão do Espírito Santo!

Maria está conosco, intercedendo junto ao Filho para que o Espírito Santo desça sobre nós e a Sombra do Altíssimo nos envolva. Como nos ensina o Frei Raniero Cantalamessa (Pregador da Casa Pontifícia), no Cenáculo, Maria se mostra como madrinha da Igreja. A madrinha, para poder desempenhar essa função, deve ser alguém que já recebeu o batismo. Era o caso de Maria: uma batizada no Espírito Santo que agora apresenta a Igreja para o batismo no Espírito. Maria assistiu os apóstolos em sua preparação; assim ela faz conosco.

Não existe Igreja sem o Pentecostes e não existe Pentecostes sem a Virgem Maria. (PP. Bento XVI – Angelus de 23.05.2010).

Vinícius Rodrigues Simões

Secretário Geral do Conselho Nacional da RCCBRASIL

Grupo de Oração Jesus Senhor


Leia mais sobre Artigos