Celebrando o Natal do Senhor

alt

 

Jesus nasceu para nos salvar!

 

O ciclo do Natal tem um tempo de preparação de quatro semanas, as quatro do Advento, na primeira parte em referência à Segunda Vinda de Cristo e a pessoa de São João Batista. E a preparação próxima do Natal, com enfoque na pessoa da Virgem Maria e São José. O Natal, a festa do nascimento de Jesus é o cume desse processo de preparação. E essa festa cume do ciclo, é desdobrada na Festa da Sagrada Família, a Solenidade da Epifânia e o Batismo do Senhor. Manifestações do Senhor. Tendo isso em vista, vamos contemplar como a Igreja, em sua Liturgia, celebra, essa verdade da nossa fé: o Natalício de Nosso Senhor Jesus Cristo. 

Na Missa da Vigília, contemplamos que Jesus nasceu da Virgem Maria, como descendente de Davi, para o cumprimento das profecias e, assim, assume a totalidade da vida humana (Cf. Mt 1,1-25). Também São Paulo, no mesmo sentido, lê a História, afirmando que, de Davi "da sua descendência, conforme a promessa, Deus fez surgir a Israel um Salvador, que é Jesus" (At 13,23). A profecia de Isaías proclama o amor de Deus pelo seu povo que sofreu e voltou do Exílio (Cf. Is 62,1-5). Deus, então, como foi fiel na Aliança com seu Povo, estabelece uma Aliança eterna com o nascimento do seu Filho. 

O tema da Missa da Noite é ver o nascimento de Jesus como a luz que brilha nas trevas. "A Glória do Senhor os envolveu em luz" (Lc 2,9). A manifestação plena de Deus acontece situada na História, a marca do contexto judaico-cristão. Deus é plena verdade manifestada e situada na História, não é um mistério etéreo, mas real, no dizer de Paulo, manifestado: “A graça de Deus se manifestou trazendo salvação para todos os homens”(Cf. Tt 2,11). Por isso, o anúncio feito pelo anjo é revestido da glória de Deus, num recém-nascido sem qualquer resplendor, naquela vida humana, os pastores pobres são chamados a contemplar a vida plena. Da mesma maneira que os exilados do Reino do Norte na visão de Isaías podiam ter a esperança da salvação: “O povo, que andava na escuridão, viu uma grande luz; para os que habitavam nas sombras da morte,umaluz resplandeceu” (Cf. Is 9,1ss). O canto novo dos libertos é esse: "Hoje nasceu o salvador" (Lc 2,11).

No resplendor da aurora do dia de Natal, somos convidados a ir com os pastores pobres, como Davi um dia o foi nessas mesmas pastagens de Belém, encontrar o menino, filho de Maria e José (Cf. Lc 2,15-20). E com o profeta Isaías, somos exortados a contemplar a salvação que vem: "Onde está aquele que tirou dos céus o pastor de seu rebanho? Onde está aquele que pôs nele seu santo Espírito?" (Is 63,11). Na mesma linha, por São Paulo somos chamados a ver que a bondade e o amor de Deus apareceu, veio à luz: “Manifestou-se a bondade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor pelos homens”(Cf. Tt 3,4). 

Finalmente, na missa do dia de Natal, proclamamos a verdade de fé: E a Palavra se fez carne e armou tenda entre nós (Cf. Jo 1,14). Deus acompanhou seu povo no deserto habitando numa tenda, o símbolo maior de ser nômade, daqueles que no deserto procuram a terra prometida, agora a "Tenda de Deus" não é feita de pele de animal, mas de pele humana, Deus assume totalmente a natureza humana, para nos fazer participar da divindade. Como na Carta aos Hebreus, esses tempos são os últimos porque o que foi anunciado foi cumprido: Deus envia seu próprio Filho. E essa é a mensagem maior do profeta Isaías, o anúncio da redenção do exílio chegou, a Salvação de Deus se faz presente para sempre no meio da humanidade.

Natal é contemplar que Deus em seu Filho nos assume na eterna Aliança, a luz entra nas trevas e somos convidados a ver essa luz de Deus numa criança, pois a Palavra se fez carne e habitou entre nós (Cf. Jo 1,14). 

Por tudo isso, ao desejarmos um Feliz Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo, é contemplar esse grande Mistério da Luz de Deus brilhe nos corações, querer que cada pessoa veja na criança que nasceu o Salvador, saiba que as trevas para sempre foram vencidas, e Palavra que contemplamos na Sagrada Escritura se fez carne, e se faz presente na Celebração Eucarística. Isso sim, é desejar: Feliz Natal!

 

------------
Padre Micael Moraes

Instituto Missionário Servos de Jesus Salvador (Salvistas)

 


Leia mais sobre Artigos