"Celebrar a Páscoa do Senhor significa reconhecer-se alvo da bondade de Deus"

“O Cristo, que leva aos céus,
caminha à frente dos seus!
Ressuscitou de verdade.
Ó Rei, ó Cristo, piedade!”

Depois de quarenta dias de retiro espiritual, caminhada de escuta da Palavra, penitência, oração e esmola, chegamos à grande celebração da Páscoa, onde brota o tesouro da nossa fé, e como nos diz São Paulo, sem a qual tudo seria vão e vazio. Sim! Nossa fé está fundada no Ressuscitado que nos garante a graça de uma vida nova! Celebrar a Páscoa do Senhor significa reconhecer-se alvo da bondade de Deus e abraçar essa vida que Ele mesmo conquistou para nós, vida que foi doada do alto da cruz como prova de amor ao gênero humano. Sim, Ele nos assumiu para nos dar livre acesso ao Pai misericordioso. Hoje nos reunimos em família para celebrarmos esse grande dom de vida nova, e o que significa isso? Significa que já não pertencemos a nós mesmos, mas Àquele que por nós se entregou para vivermos Nele e com Ele, transformando assim o que somos em testemunho de amor, que nos impele a levarmos aos irmãos e irmãs o grande anúncio que o Evangelho da missa de hoje nos apresenta: Ele não está no túmulo!  E o que significa isso? Roubaram o corpo do Senhor? Nos pregaram uma peça? NÃO! O Senhor Ressuscitou, verdadeiramente.

 Às vezes, nós somos um pouco como os discípulos que tem certa dificuldade de entender o projeto do Senhor, pois, muitas vezes, somos tentados a pensar as coisas do Alto com uma linguagem ou mentalidade humana, e por isso, acabamos não compreendendo grande parte do plano de amor do Senhor, que nos apresenta a oportunidade de abraçar a vida em plenitude e testemunhar com amor o que somente Ele pode realizar em nosso favor.

O anúncio do Ressuscitado deve ecoar na vida e nos lábios daqueles que abraçaram essa realidade de vida em abundância, e é desta forma que o anúncio se torna eficaz e poderoso, capaz de chegar aos corações que, ainda hoje, não se depararam com o real sentido dessa grande celebração. Nosso ato de crer não para em alguém que morreu por uma boa causa, nossa fé tem como alicerce aquele que sofreu, morreu e ressuscitou, e isso é tão importante que Ele, nas suas aparições, mostra suas santas e veneráveis chagas de amor por toda a humanidade; dessa forma podemos assim viver o júbilo desses 50 dias na escola do Ressuscitado que será coroado com o derramar do Espírito em Pentecostes. Feliz Páscoa!

-----------

Pe. Jorge Luiz Vieira da silva
Coordenador Nacional do Ministério Cristo Sacerdote

 


Leia mais sobre Especial