Jovens a serviço do reino e da vida

alt

A Igreja Católica celebra, no dia 26 de setembro, a memória dos santos e jovens médicos Cosme e Damião, mártires do Império Romano do século IV. Médicos de profissão e santos na vocação da vida exerceram suas profissões com muita competência e dignidade. Inspirados pelo Espírito Santo conciliaram os seus conhecimentos e talentos à fé cristã, tornando a arte médica um apostolado profético, levando a saúde do corpo e da alma e atraindo muitos para a experiência do amor de Deus e da conversão.

Nascidos na Arábia, por volta da metade do século III, viveram no Oriente (Ásia Menor). Estes meninos (não se sabe exatamente se eram gêmeos ou não), filhos de pais nobres e ricos, desde muito jovens manifestaram grande talento e habilidade para a medicina. Foram para a Síria, onde estudaram e se diplomaram médicos. Profissionais extremamente competentes, humildes e piedosos, tornaram-se missionários, indo ao encontro das necessidades de seus semelhantes, aliando ciência à confiança no poder da oração e da fé. Segundo a tradição, as enfermidades eram curadas e nunca cobravam por isso. Eram evangelizadores. Pregavam a Palavra de Deus, mostrando às pessoas o imenso Amor de Deus e seus prodígios. A riqueza que mais os atraia era fazer do exercício da profissão seu apostolado para a conversão dos pagãos, o que a cada dia conseguiam mais e mais.

Por este extremo carisma, São Cosme e São Damião chamaram a atenção das autoridades romanas, despertando a ira do Imperador Diocleciano, implacável perseguidor do povo cristão. Por ordem do Governador, na Ásia Menor, foram presos e acusados de feitiçarias e práticas diabólicas em suas curas. Diante destas acusações, a resposta era sempre: “Nós curamos as doenças em nome de Jesus Cristo e pelo seu poder”. Negaram-se a aceitar e cultuar os deuses pagãos. Sofreram terríveis torturas até a condenação, sendo, em seguida, decapitados, por volta do ano 303 dC, na cidade de Ciro, vizinha à Antioquia, Síria, onde foram sepultados. Mais tarde seus corpos foram trasladados para uma igreja dedicada a eles. Cerca de cem anos depois passaram a ser cultuados como os Santos Cosme e Damião.

Entre os anos 526 530 dC., à pedido do papa Felix IV, construiu-se uma basílica em Roma, dedicada a eles, com a solenidade dando-se em um dia 26 de setembro, tornando-os mais conhecidos no Ocidente.

 A história destes dois santos mártires, cultuados por fiéis católicos em todo o mundo, precisa despertar em nós, e de maneira especial, nos jovens, o desejo de viver os valores cristãos firmados na fé, movendo o nosso olhar para a pessoa humana, criada à imagem de Deus, como um ser ao mesmo tempo corporal e espiritual (Catecismo Igreja Católica parágrafo 6, II ) e que precisa de cuidados para o corpo e para alma: “ Ouvindo isso, Jesus lhes disse: “ Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas os doentes”.”. Eu não vim chamar os justos, mas pecadores ““. ( Mc 2,17 ).

Que São Cosme e São Damião, venerados como padroeiro dos médicos, farmacêuticos e das faculdades de medicina, sejam exemplos de vida e santidade para todos os cristãos!

Oscar da Costa Gilberto

Médico – Saúde da Família

GPP Sopro de Vida Paróquia Santa Maria Goretti-  Maringá (PR)


Leia mais sobre Especial