“O Senhor não olha tanto a grandeza das nossas obras. Olha mais o amor com que são feitas.”

A data de hoje merece uma atenção especial. No dia 15 de outubro comemora-se o dia dos professores e nesta mesma data a Igreja celebra a festa litúrgica de Santa Teresa de Ávila, uma das pessoas mais inteligentes que a humanidade já conheceu, considerada “Doutora da Igreja”.

Teresa nasceu no ano de 1515 na cidade de Ávila, na Espanha, onde viveu sua infância demonstrando os primeiros sinais de santidade: gostava de brincar de “fundar mosteiros” e certa vez planejou, juntamente com seu irmão Rodrigo, fugir para uma região onde muitos cristãos eram martirizados, pois queria viver logo na eternidade. Perdeu a mãe aos 13 anos e ao longo da adolescência afastou-se da fé. Tornou-se vaidosa e envolveu-se em namoricos. Para resguardar sua honra o pai colocou-a em um mosteiro, mas Teresa tinha certa aversão à ideia de se tornar freira. Como ela mesma diz, viveu uma vida medíocre dos 20 aos 39 anos, envolvida em conversas destrutivas e muito apegada às pessoas.

Certo dia rezava diante de uma imagem de Jesus Sofredor quando perguntou-Lhe por que Ele sofria tanto. Através de um dom místico extraordinário, Jesus respondeu-lhe que era por causa das suas conversas vazias. A partir daí, Teresa converteu-se e voltou ao fervor da espiritualidade carmelita, a ponto de criar uma espiritualidade modelo.

Através de contatos místicos e com grande ajuda de seu conselheiro espiritual São João da Cruz, também Doutor da Igreja, iniciou a reforma do Carmelo feminino. Começou pela fundação do Carmelo de São José e partiu para todas as direções da Espanha, criando novos Carmelos e reformando os antigos.

Ao longo de sua vida escreveu diversas obras; dentre elas, “o Livro da vida”, onde narra, além de outros episódios, o fenômeno místico da transverberação. De acordo com sua própria descrição, Teresa teve a visão de um anjo segurando um dardo de ouro que lhe transpassava o coração. Quando o anjo retirava o dardo, Teresa ficava abrasada num imenso amor de Deus. Para confirmar a veracidade de seus relatos, após a morte de Teresa, seu coração foi retirado de seu corpo incorrupto, e para espanto de todos havia no coração da Santa uma ferida cicatrizada.

Teresa conseguiu fundar mais de trinta mosteiros e após uma vida de lutas e perseguições morreu em Alba de Tormes, aos 67 anos, na noite de 15 de outubro de 1582, quando disse suas últimas palavras: “Senhor, sou filha de vossa Igreja. Como filha da Igreja Católica quero morrer”.  Teresa foi beatificada pelo Papa Paulo V, em 1614, e canonizada por Gregório XV, em 1622.

Teresa não tinha formação acadêmica, mas sempre se interessou pelos ensinamentos de teólogos, literatos e mestres espirituais. Sendo assim, tornou-se uma mulher com arguta inteligência e de argumentos persuasivos, mesmo em um período em que as mulheres eram consideradas o sexo frágil.

Teresa transformou a vida de inúmeras pessoas através de seu exemplo de amor a Deus e de sua fé refletida em ações. Hoje, milhares de professores transformam a vida de seus alunos através da transmissão do conhecimento nas salas de aula do mundo inteiro. E Santa Tereza de Ávila é a padroeira destes profissionais que na maioria das vezes lutam contra as grandes dificuldades da atualidade para transmitir principalmente os bons exemplos de vivência. Que Santa Teresa interceda por todos nós, de maneira especial por todos os professores, para que eles perseverem nesta nobre missão de formar cidadãos de bem.

 

 

Fontes:

https://padrepauloricardo.org/aulas/introducao-ao-caminho-de-perfeicao

https://santo.cancaonova.com/santo/santa-teresa-de-avila-santa-teresa-de-jesus/

http://franciscanos.org.br/?p=59606


Leia mais sobre Especial