A reunião familiar natalina como oportunidade de comunhão fraterna?

alt

O tempo natalino é um momento oportuno para em torno da mesa nos encontrarmos com os familiares e viver a dimensão de comunhão fraterna (estarmos verdadeiramente próximos não somente fisicamente, mas também nos aproximando das histórias familiares). Comunhão essa que vai além da troca de presentes ou da partilha do alimento, mais uma harmonia no modo de sentir, pensar e agir cristãos dentro da dinâmica da sociedade que estamos inseridos sem perder os valores.

Santo Agostinho dizia que: “devemos amar muito mais com gestos do que com palavras”.

 

Como demonstrar amor para com a sua família?

 A reunião em torno da mesa, talvez seja uma boa oportunidade para essa demonstração de afeto. Um prepara a refeição, outro organiza a mesa e disposição dos talheres, outro retira os utensílios ao final da ceia e assim vamos vivendo no ordinário da vida familiar: o amor, a partilha, a comunhão e a valorização dos afazeres domésticos.

Na audiência geral dos dias 12,19 e 26 de agosto de 2015, o Papa Francisco nos disse:

”O Evangelho lido e meditado em família é como um pão saboroso que nutre o coração de todos. E de manhã e à noite, e quando sentamos à mesa, aprendamos a fazer uma oração juntos, com muita simplicidade: é Jesus que vem entre nós, como ia visitar a família de Marta, Maria e Lázaro”.

Do antigo ao novo testamento Deus nos ensina o valor da mesa, este espaço privilegiado para o conhecimento e aprofundamento dos elos familiares. Vejamos:

- Êxodo 23, 23: “faça uma mesa”.

- Êxodo 25, 30: “porás sobre essa mesa os pães da proposição”.

- Êxodo 37, 16: “Fez de ouro puro os utensílios que deviam ser colocados sobre a mesa: os vasos, as xícaras, os copos e as taças necessários às libações”.

- II Samuel 9,7: “Comerás à minha mesa”.

- Salmos 127, 3: “Tua mulher será teu lar como uma vinha fecunda. Teus filhos em torno à tua mesa serão como brotos de oliveira”.

- Mateus 26, 20: “Ao declinar da tarde, pôs-se Jesus à mesa com os doze discípulos”.

Como vimos acima nas passagens bíblicas há um querer de Deus para a partilha do alimento em torno da mesa.

 

Temos nos reunido em torno da mesa?

Infelizmente muitas famílias abandonaram essa prática, mas se queremos preservar e proteger nosso lar precisamos retomar o hábito de fazermos as refeições à mesa. Quando assentamos à mesa com nossa família e fazemos uma oração e partilhamos o alimento o próprio Deus se faz presente e traz aos nossos corações o alento às nossas inquietações.

--------------------

Sandra Calixto da Silva Landim
Grupo de Oração Maná - RCC DF - Setor 4
Coordenadora Nacional do Ministério para as Famílias

 


Leia mais sobre Especial