Santa Cecília, exemplo de pureza e oração para os músicos

altA paz de Jesus, meus amigos!

No ano passado conversávamos em fazer um dia mensal de mobilização nacional de oração pelo Ministério de Música e Artes, e concluímos que seria todo dia 22 de cada mês, em honra a Santa Cecília, que tem seu dia celebrado no dia 22 de Novembro. Pois bem, esse mês para nós é o mês por excelência. De todos os meses que nos reunimos em oração pelo Ministério, esse deve ser, pra nós, o que mais nos movimenta.

Quando todos os artistas de nosso país se reúnem para um único objetivo, que é entrar em oração pelo nosso ministério, Nossa Senhora com certeza nos ouve. Portanto, nesse dia 22 de Novembro, vamos aos pés de Nossa Senhora mergulhar ainda mais em seu ventre divino para nos moldarmos ao Verdadeiro Amor, seu filho Jesus. Peçamos a Bem-Aventurada Virgem Maria, a Imaculada Conceição, que nos purifique e nos converta, ao exemplo de Santa Cecília, uma serva de Deus que antes de ser musicista, quis ser Santa.

Neste mês especial, pedi à Roberta Castro, coordenadora estadual do Música e Artes no estado do Espírito Santo, que nos trouxesse a reflexão sobre Nossa Senhora e Santa Cecília. E quantas riquezas estão derramadas nessas palavras. Deus nos chama à conversão, pela intercessão de Maria e de Santa Cecília, nossa padroeira.

Dia 22 é o dia de Santa Cecília

No dia 22 de novembro celebramos a vida de uma grande mulher da Igreja, Santa Cecília. Ela nasceu em Roma, no século II, e desde a infância era cristã e muito temente a Deus. Por amor, decidiu consagrar sua pureza ao Senhor, fazendo o voto de virgindade. Nobre, culta, estudiosa da música e amante da oração, Cecília chamou a atenção do jovem Valeriano, com quem foi obrigada a se casar. Mesmo assim, em seu coração, pedia à Virgem Maria para lhe ajudar a guardar seu compromisso de castidade.

Após o casamento, contou ao marido que era cristã e que sua virgindade era protegida por um anjo. Diante dessa revelação, ele também se abriu a Cristo, e foi batizado pelo Papa Urbano, junto com seu irmão, escondidos nas catacumbas por causa das perseguições aos cristãos. Seu marido se tornou também guardião da sua pureza. Depois de denúncias, as autoridades romanas descobriram a conversão de Valeriano e de seu irmão, e os decapitaram. Também Cecília foi presa, e condenada à morte por não renegar a fé em Cristo. Primeiro, tentaram matá-la em uma câmara de vapores e milagrosamente nada aconteceu. Depois, o carrasco deu três golpes em seu pescoço ferindo-a mortalmente, mas sem conseguir decapitá-la. Após três dias, onde animou a fé dos cristãos da época, ela faleceu.

Seu corpo foi enterrado nas catacumbas e, por volta de 820, foi verificado que permanecia intacto. Depois, em 1559, o cardeal Sfondrati ordenou nova abertura do túmulo, e o corpo permanecia o mesmo, incorruptível. Essa mulher pura, firme, destemida, estudiosa, é a escolhida da Igreja para ser Patrona dos Músicos, exemplo para todos nós, que recebemos o dom de tocar o sagrado com nossa sensibilidade e traduzir a presença de Deus através das canções e da arte.

A história da vida de Santa Cecília é difícil de ser recuperada nos detalhes porque é muito antiga (séc. II). Mas, me permito imaginar que ela deveria ser uma mulher de sensibilidade privilegiada. Para ter escolhido ser esposa de Cristo desde muito nova, deve ter sido conquistada por Ele de uma forma linda, se encantando com Seus mistérios, desviando para Ele todos os seus olhares, todos os seus prazeres. Nos mínimos detalhes, ela conseguia perceber Deus, com seus sentidos e sentimentos abertos, sedentos, voltados para o céu. Seu coração de musicista, sensível, carente, necessitado de amor, encontrava no Seu Amado seu lugar de refúgio, de preenchimento.

Como não se render a esse amor? Como não se encantar com esse Deus que cuida tão bem, que chega tão perto, que ama com tanta delicadeza e individualidade? E ela se encantou! E esse amor de tal forma a tomou que ela não podia ser de mais ninguém além Dele. Nada mais tinha sentido, nada trazia mais alegria do que se esconder Nele. Assim, ela direcionou para Ele sua sexualidade, e consagrou sua virgindade a esse Deus que a encantou e que deu novo sabor a tudo em sua vida. Santa Cecília usou da sua sensibilidade à flor da pele para conhecer o Divino, para descobrir os tesouros de Deus escondidos que os outros não conseguiam sentir. Seu coração estava atento, voltado para Ele. E com sua música ela traduzia esses sentimentos para que os outros pudessem conhecer o que primeiro ela conheceu. Assim se tornou exemplo de pureza e oração, conseguiu direcionar o dom da sensibilidade aflorada para a Pessoa certa, para o Amor de sua vida. E essa deve ser também a nossa busca.

Nosso dom para a arte nos torna mais sensível a Deus, ele abre um caminho interior privilegiado de conhecimento do céu. Mas, muitas vezes temos direcionado essa sensibilidade para as pessoas, nos tornando desequilibrados em nossos relacionamentos afetivos. Quantos músicos e artistas perdidos nos vícios sexuais. Quantos vivem sua sexualidade de forma imatura, carente, querendo saciar com outros a sede que o próprio Deus colocou em nós, como ponte para a intimidade com Ele. Somos necessitados de amor! E esse é o impulso para que O busquemos com todas as forças, numa oração constante, desejosos de que Ele venha preencher essa saudade do Céu que deixou em nós.

Como é difícil viver a castidade! Muito mais do que a continência sexual, ela é uma virtude que vem de dentro, e exige pureza de pensamentos, de intenções, de desejos, e das ações práticas. Se tornar casto é uma tarefa que exige esforço e dedicação por toda a vida. Maria, mãe da pureza, exemplo maior de castidade depois de Cristo, vem em nosso auxílio nessa luta. Ela é a mestra que quer nos orientar na busca do equilíbrio sexual e nos nossos relacionamentos. Ela é quem vai nos animar em cada queda, vai renovar a nossa esperança. Com os que se submetem à sua guarda, dia a dia ela vai construindo o interior, tijolo a tijolo, detalhe por detalhe, retirando os excessos com todo carinho, até que no final nos tornamos uma linda morada do Espírito de Deus.

São Bernardo nos ensina: “Homem, quem quer que sejas, já sabes que nesta vida vais flutuando mais entre perigos e tempestades, do que caminhando sobre a terra. Se não queres ser submergido, não apartes os olhos dos resplendores desta estrela. Olha para a estrela, chama por Maria. Nos perigos de pecar, nas moléstias das tentações, nas dúvidas do que deves resolver, considera que Maria te pode ajudar, chama logo por ela para que te socorra. Quando te encomendares a ela, não desconfies; sustentando-te ela, não cairás. Protegendo-te ela, não temas perder-te; sendo tua guia, sem fadiga te salvarás.” (Glórias de Maria, Sto Afonso de Ligório, pág. 85).

Assim, nesse dia 22 de novembro, consagremos nossa sexualidade e relacionamentos à Maria. Peçamos a ela que nos ajude a purificar nossos pensamentos e olhares, que nos liberte dos vícios sexuais, da impureza. Consagremos a ela nossa vocação, para que ela mostre qual é o caminho certo. Que ela nos ensine a equilibrar nossos relacionamentos e afaste de nossas vidas as pessoas que desviam nosso olhar de Deus.

Nossa Senhora, rainha da Pureza, rogai por nós!

Santa Cecília, casta musicista, rogai por nós!

Roberta Castro

Coordenadora Ministério de Música e Artes

RCC Espírito Santo

 

Meus amigos, que possamos rezar muito neste dia 22 de Novembro, pela nossa Conversão à Pureza e Santificação. Não se cansem, se esforcem, convoquem todos os artistas a se reunirem nesse dia especial.

Deus Abençoe a todos vocês meus amigos. Um grande abraço desse pobre pecador.

Juninho Cassimiro

Coordenador Ministério de Música e Artes

RCCBRASIL

 

Esta carta está disponível para download no hotsite para a Mobilização Nacional de Oração pelo Ministério de Música e Artes

 


Leia mais sobre Formação