A fé, fundamento da intercessão

alt

Na encíclica Fides et Racio, de São João Paulo II, vemos a fé e a razão descritas como duas asas pelas quais o espírito humano se eleva para a contemplação da verdade¹. Ou seja, o conhecimento das ciências aliado à fé no Inexplicável (Deus), são setas para a plena Verdade que irá saciar o homem de forma absoluta. Daí se explica a busca incansável do homem pela Verdade desde sempre.

"A fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê. [...] Sem fé é impossível agradar a Deus, pois para se achegar a ele é necessário que se creia primeiro que Ele existe e que recompensa os que o procuram" (Hb 11, 1. 6).  Nos escritos da carta aos Hebreus, percebemos quão indispensável é viver vida de Fé no Deus Verdadeiro. Ter fé é condição para irmos a Deus, pois como se aproximar de Deus se não se acredita n’Ele?  “Onde está o seu desejo de Deus? Porque a fé é isto: ter o desejo de encontrar Deus, encontrá-Lo, estar com Ele, ser feliz com Ele”. ²Dessa forma, o papa Francisco alerta-nos que a fé se fundamenta no desejo de Deus e não unicamente em milagres, senão corremos o risco de desacreditar quando não os virmos. “Se não virdes sinais e prodígios, não acreditais” (Jo 4, 48).

É por ocasião do sacramento do batismo que a fé nos chega como dom, como graça, como virtude teologal. De fato, as virtudes teologais, Fé, Esperança e Caridade, referem-se diretamente a Deus e dispõem os cristãos para viverem em relação com a Santíssima Trindade (CIC 1812).  A Igreja não cessa de confessar a sua fé num só Deus, Pai, Filho e Espírito Santo.” (CIC 152).Que dom excelente que nos impele a ir a Nosso Senhor, nossa Grande Felicidade! Peçamos ao Senhor que aumente nossa fé!

A Sagrada Escritura chama «obediência da fé» a esta resposta do homem a Deus revelador³, a esta adesão livre do homem a Deus e às verdades por Ele reveladas. É um ato da inteligência que, movida pela livre vontade, se entrega a Deus que se revela. Assim, “Aquele que crer e for batizado será salvo; aquele que não crer será condenado” (Mc 16,16). Portanto, asalvação nos chega mediante a fé (Ef 2, 8) quesupõe ainda um abandono em Deus, numa total confiança filial, e o aceite de qualquer situação em nossa vida, sem murmuração e protesto, em submissão completa de nossa vontade e inteligência, sabendo que “Tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus”(Romanos 8,28).  Não foi isso que aconteceu com o pai da fé, Abraão, ao se colocar como algoz de seu próprio filho? Sua fé no Deus Vivo e Verdadeiro não poupou seu filho Isaac do sacrifício? Por certo que sim. Seu abandono sem reservas à vontade de Deus, sua prontidão para cumprir a determinação dada pelo Senhor (porque ele creu que era Deus que lhe orientava) o colocou sob a proteção do Altíssimo, debaixo da sombra do Onipotente (SL 90) e o anjo do Senhor foi enviado para poupar Isaac. Glórias! “Não estendas a tua mão contra o menino, e não lhe faças nada. Agora sei que temes a Deus, pois não me recusaste teu próprio filho, teu filho único. Abraão, levantando os olhos, viu atrás dele um cordeiro preso pelos chifres entre os espinhos; e, tomando-o, ofereceu-o em holocausto em lugar de seu filho”(Gn 22, 12-14). Desse episódio, extraímos a verdade de que a fé nos protege e nos dá a provisão necessária nos momentos todos de nossa vida! Assim, é preciso acreditar e se lançar nas propostas do Senhor sem medo, mesmo que não sejam tão atraentes e confortáveis aos nossos olhos, mas se vem do coração do Senhor, serão sempre o melhor para nós.

No Ministério de Intercessão, a intimidade do fiel, alimentada pela fé, faz do servo intercessor um atalaia pronto a levar a Nosso Senhor todas as vidas e situações que precisam ser tocadas pela misericórdia do Pai. A oração movida pela fé gera autoridade espiritual e é a chave para as vitórias travadas pelo combatente ao orar ao Deus do impossível, porque “Tudo é possível ao que crê”(Mc 9,23). Portanto, a Fé leva ao rompimento de barreiras.  Quando a palavra de Deus nos orienta que Fé é crer sem ver (Jo 20, 29), podemos nos certificar que a oração da fé alcança os céus e realiza milagres e mesmo que não os enxerguemos em tempo real, é a fé que nos assegura que Deus agiu. Do jeito d’Ele, mas agiu! “A oração da fé salvará o enfermo e o Senhor o restabelecerá. Se ele cometeu pecados, lhe serão perdoados” (Tg 5, 15). Por isso, o servo intercessor deve suplicar a Deus pelo dom da fé para não cair na tentação de sair do combate em favor da salvação das almas. 

 

1) Carta encíclica Fides et Ratio dosumo pontífice João Paulo II aos bispos da Igreja Católica sobre as relações entrefé e razão.

2) Papa Francisco em homilia na Casa Santa Marta, em 12/03/2019.

3) CIC 143

 

Núcleo Nacional do Ministério da Intercessão – RCCBRASIL

 

INTENÇÕES PERMANENTES

1.   Pela Santa Igreja, pelo Santo Padre, o Papa Francisco, pelos Bispos, pelos Sacerdotes, Diáconos, Religiosos (as) e pelos Seminaristas;

2.   Por todas as vocações, para que o chamado de Deus seja assumido com amor e fidelidade.

3. Pelo Novo Serviço Internacional – CHARIS e seus membros;

4.   Pelo CONCCLAT (Conselho Católico Carismático Latino Americano) e seus membros;

5.   Pela Presidência do Conselho Nacional, Katia Roldi Zavaris e sua família, e todos os membros do Conselho Nacional;

6.   Pelas reuniões dos Conselhos Estaduais e Diocesanos;

7.   Por todos os grupos de oração do Brasil;

8.   Por todos os Ministérios da RCC em nível nacional, estadual, diocesano e de grupo de oração;

9.   Pelas necessidades espirituais e financeiras dos escritórios diocesanos, estaduais e nacional da RCC;

10.Pela casa de missão da RCCBRASIL no Marajó e pelos missionários e missionárias;

11.Pela construção da Sede Nacional da RCC do Brasil e pelos seus colaboradores;

12.Pelos eventos de evangelização da RCC no Brasil;

13.Pela missão de Gilberto Gomes Barbosa à frente da Presidência Internacional da Fraternidade Católica – FRATER (Novas Comunidades);

14.Pela missão de Aluísio Nóbrega à frente da Presidência Nacional da Fraternidade Católica;

15.Pela situação política, econômica e moral em nosso País;

16.Para que cesse a violência no Brasil e no mundo;

17.Pela erradicação dos vírus causadores da Febre Amarela, Dengue, Zika e Chikungunya.

 

INTENÇÕES DO MÊS

- Pelos Congressos Estaduais, de 5 a 7 em Pernambuco, dias 13 e 14 no Distrito Federal, dias 20 e 21 no Amazonas e 27 e 28 em Alagoas.

- Pela Escola Regional de Formação de Líderes e Missionários – edição nordeste – 25 de junho a 05 de julho em Palmeira dos Índios – Alagoas;

- Pelo Retiro Latino-americano de Sacerdotes da Renovação Carismática Católica de 19 a 22 de agosto em Aparecida – SP. 

 


Leia mais sobre Rede Nacional de Intercessão