Pregação e adoração são conduzidos por Padre Antônio José nesta tarde no ENF

alt

Na tarde desse sábado (12/01), Pe. Antônio José, Arquidiocese do Rio de Janeiro, iniciou a pregação destacando uma reflexão sobre a autoimagem, expressão esta que significa aquilo que uma pessoa vê quando olha pra si mesmo. É fundamental compreender aquilo que Jesus pensa de cada um para buscar se tornar semelhante a esse projeto divino.

Meditando a palavra (Lc 22, 27-30) Jesus ensina aos discípulos o que Ele pensava de si mesmo. Em uma festa quem é o mais importante o convidado ou o garçom que está servindo na festa, questionou o padre. Jesus sempre olhava para aquelas pessoas leprosas, prostitutas, machucadas e sofridas que chegavam aos lugares que Ele passava e os tratava como convidados do “meu Pai” e dizia quanto eram importantes. O chamado é tornar-se semelhantes a Jesus.

O pregador afirmou que ao vermos as pessoas chegarem em nossos Grupos de Oração, devemos acolher como Jesus fez com todos sem exceção, vê-los como os convidados da festa e servi-los porque são os mais importantes. A autoimagem tem que ser de servo! E motiva a não se deixar ferir enquanto não cumprir a missão de Jesus, porque todos são servos com amor ardente e todo aquele que é servo deve servir com amor. É essencial aprender a ser servo com Jesus e como Jesus.

O que faz um servo melhor não é a quantidade de dinheiro, mas aquilo que Deus coloca dentro do coração. Ser servo é algo que só pode acontecer em um lugar, a sombra do Altíssimo, devemos estar e permanecer durante toda vida. Quando alguém faz sombra dá medo porque em a natureza humana não suporta ficar na sombra. O demônio quer levar pra luz do sol escaldante que seca a vida, mas o Espírito Santo leva pra sombra e dá refrigério conduzindo ao serviço na comunhão com meu próximo. “O lugar do servo é na sombra do Altíssimo”, exortou o sacerdote.

“Jesus abriu mão da sua glória, se você quer ser servo, renuncie a si mesmo para que Ele cresça e sirva através da gente”, aconselhou Padre Antônio. O Espírito Santo age e a grande batalha é dentro de si, se faz necessário rezar sempre pedindo que Ele ensine a ficar na sombra, e olhar para os irmãos como convidados, nos colocando como servos, conclui.

Adoração ao Santíssimo

Um momento ímpar da tarde foi a adoração ao Santíssimo, onde todos os carismáticos se colocaram diante de Jesus para adorá-Lo com cânticos de louvores e toda expressão de alegria. A oração levou a todos se lançarem nos braços do Senhor e dizer: “eu sou do meu Amado. A alegria da minha vida é declarar o amor de Jesus”.

Durante a adoração Padre Antônio José teve uma moção “de hoje em diante você vive pra Mim e te quero na adoração”, foi um profundo momento de entrega a Jesus proclamando que Ele vive e está entre nós.

Antes da bênção foi proclamada outra moção “não desista, Ele já é a nossa vitória, um dia Ele será nossa recompensa. Selados com o sopro da vida que vivemos para estar na adoração”.


Leia mais sobre ENF 2019