RCC São Luís (MA) testemunha livramento após oração e escuta

alt

Nos últimos dias, a notícia sobre o desabamento da cobertura do Ginásio Castelinho (em São Luís, capital do Maranhão) teve uma grande repercussão em nível nacional. A estrutura do ginásio poliesportivo foi parcialmente destruída durante as fortes chuvas que atingiram a cidade de São Luís. Na quarta-feira de cinzas, dia 06 de março, parte da cobertura cedeu e o espaço ficou totalmente alagado. Contudo, essa tragédia poderia ser ainda maior, já que o ginásio abrigava o Rebanhão de Carnaval e abertura da Campanha da Fraternidade da Diocese até o ano passado. Mas, esse ano, a partir de uma escuta profética, a organização do evento optou por fazer o Rebanhão em outro local, evitando uma grande tragédia. O Portal da RCCBRASIL conversou com o coordenador diocesano da RCC São Luís, confira a história completa:

 

Até o ano de 2018, a Renovação Carismática Católica da Arquidiocese de São Luís do Maranhão realizava o Rebanhão, encontro de Carnaval, no Ginásio Castelinho. Em 2018, explicou o presidente do Conselho arquidiocesano da RCC São Luís, Robert Araújo, após o Encontro Nacional de Formação da RCCBRASIL (ENF) e início dos preparativos para o Rebanhão, uma inquietação brotou no coração a respeito do lugar onde deveria acontecer o evento.

O Rebanhão de Carnaval acontece há 28 anos na cidade e, há aproximadamente dez anos, ele é realizado no Castelinho. Somados todos os dias do evento, cerca de 15 mil pessoas participam do Encontro de Carnaval na capital do Maranhão.

Robert explicou que em janeiro já havia um desejo de não realizar a 28ª edição do evento no Castelinho, mas que, mesmo assim, os organizadores do evento deram entrada no pedido de empréstimo do local à Secretaria de Estado do Esporte e Lazer (Sedel).

Ao longo da preparação (janeiro e fevereiro), muitas dificuldades foram aparecendo, contou o presidente arquidiocesano. A falta de recursos financeiros e a dificuldade de conseguir a liberação do local foram grandes obstáculos na preparação do evento.

No início do mês de fevereiro, os coordenadores de Grupos de Oração da arquidiocese realizaram uma reunião de preparação do evento. Nela, o presidente arquidiocesano, Robert Araújo, contou aos demais sobre o anseio de realizar o Rebanhão na Sede Diocesana da RCC São Luis e encorajou à equipe a acreditarem que mesmo sem a liberação do Castelinho o evento iria acontecer: “na reunião eu disse aos coordenadores de Grupos de Oração ‘Irmãos, desemparados nós não estamos! Temos um teto, nossa casa cabe bastante gente’”. Robert contou que alguns dias após a reunião, a Secretaria de Esporte e Lazer liberou o ginásio para a realização do Rebanhão.

No dia da liberação, o presidente convocou uma reunião extraordinária online para que o conselho arquidiocesano da RCC pusesse decidir em oração e por meio de votação o local do Rebanhão.

Um dos pontos favoráveis à realização do evento no Castelinho é a capacidade do lugar que abriga cerca de seis mil pessoas, quantidade média de pessoas que participam diariamente no Rebanhão. Já a Sede diocesana da RCC, comporta a metade disso e, para os outros três mil participantes, haveria necessidade de preparar uma nova estrutura na praça que comportasse a todos, com tendas, alimentação, cadeiras, banheiros químicos e seguranças. Depois de muita oração e escuta, foi feita uma eleição e um pouco mais da metade dos coordenadores optaram pela realização do evento na Sede Diocesana.

28º edição do Rebanhão de São Luís

alt alt altSede da Renovação Carismática Católica de São Luis (MA) - Rebanhão 2019

O Rebanhão aconteceu na Sede Diocesana da RCC, a Associação Cristo Rei, localizada no Viva do Angelim, entre os dias 03 e 05 de março. Com o tema "Deus nos amou primeiro" (1 Jo 4,19b), o evento contou com a pregações de Rogério Santos e Célio Mendes, membros da comunidade católica Kénosis (SP) e Robert Araújo, presidente do Conselho Arquidiocesano da RCC de São Luís (MA).

Também estiverem presentes lideranças do Movimento em São Luís: Alex Oliveira e Oziel Silva; Frei Wanderlan Carvalho, diretor espiritual da RCC de São Luís; o arcebispo Dom José Belisário da Silva e o bispo auxiliar Dom Esmeraldo Barreto de Farias.  A animação do evento foi feita pelos Ministério de Música Novum Christus, Amarte e Banda Parresia.

Aconteceu também o Rebanhãozinho, com cerca de 500 crianças, durante os 3 dias de encontro, com idade entre 5 a 12 anos. Para elas, a programação foi de muita evangelização, brincadeiras e entretenimento.

“Deus nos livrou de uma grande tragédia”

alt alt alt Ginásio Castelinho

O presidente arquidiocesano, Robert Araújo, partilhou sobre a graça de Deus atuando sobre o Movimento, permitindo que o evento não acontecesse no ginásio. “Mesmo o desabamento acontecendo na quarta-feira de cinzas, como seria se estivéssemos pulando, dançando, com estrutura de palco, som alto e iluminação dias antes?”, questionou o coordenador ao explicar que Deus livrou o povo maranhense de um acidente ainda maior. “Deus nos livrou de uma grande tragédia (...) como é importante ouvir a Deus”, destacou.

altRobert ainda comentou sobre a tragédia ter acontecido antes da abertura da Campanha da Fraternidade na Arquidiocese que seria realizada em 2019 no Castelinho: “na verdade foi um duplo livramento”.

A queda da cobertura do Ginásio Castelinho foi na manhã de quarta-feira (6). Não houve vítimas e, segundo informa o site do Governo do Maranhão, não houve danos à estrutura de concreto do ginásio e que a perícia vai ajudar na identificação das causas do problema.


Leia mais sobre Eventos Diocesanos