Um chamado a sermos carismáticos da Palavra!

 alt

"A Palavra de Deus é maior que todos nós, ninguém pode se dar o direito de ser o dono da Palavra; sempre seremos servos da Palavra!"

Na alegria de ter experimentado o derramamento da graça, é hora de bendizer o Pai do Céu, por meio da Santa Missa de encerramento do Encontro Nacional de Formação da RCCBRASIL, presidida pelo padre Wagner Ferreira (Com. Canção Nova). Papa Francisco instituiu o 3º domingo do Tempo Comum, como o domingo da Palavra de Deus. Ele quer colocar em evidência a importância da Palavra de Deus para a vida de todo cristão, de modo que o Reino do Senhor possa acontecer prodigiosamente.

Louvamos a Deus porque a Renovação Carismática Católica presta um serviço maravilhoso em relação à Palavra de Deus. Além dos momentos de intercessão, oração, que deixamo-nos conduzir pelo Espírito Santo; nós temos a presença tão enriquecedora da Palavra de Deus. Todos nós, membros da família carismática, podemos testemunhar o amor que o Batismo no Espírito Santo suscitou em nossos corações em relação à Palavra de Deus. E o amor que se manifestou em forma de testemunho.

“Sejamos homens e mulheres da Palavra de Deus, apaixonados pela Palavra. Com parresia testemunhem pelo mundo afora a Palavra de Deus”, disse-nos assim o sacerdote, “pois o tempo já se completou, e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho” (ref. Mc 1, 14-15.) O tempo já se completou, é Jesus a plenitude dos tempos, por meio de sua manifestação, e de sua encarnação no ventre da Virgem Maria; a Palavra de Deus se completou.

Tendo consciência de que a partir do coração se manifesta o ministério do pecado, existe uma sedução do mal para se tornar escravos do pecado. Porém se pela fé, a Palavra de Deus motivará o coração para dizer não às seduções do mal, do pecado. Sendo homens e mulheres que produzem frutos de conversão. “Que sejamos carismáticos da Palavra”, nos disse o sacerdote.

Constata-se uma das riquezas produzidas pela Palavra de Deus, é o dom do chamado, da vocação. Quem se deixa transformar por Jesus, se deixa conduzir por um apelo vocacional, chamado por Jesus; como aconteceu com os primeiros discípulos de Jesus. Ao se aproximar deles, que estavam à beira do mar da Galileia, Jesus disse-lhes: “Segui-me, farei de vós pescadores de homens” (Mc 1, 17). Chamados neste dia para comunicar a Palavra, homens e mulheres convertidos pela Palavra de Deus.

Por isso, Pe. Wagner perguntou em sua homilia: “Como temos comunicado a Palavra de Deus? Olhando nossa vida familiar, no trabalho, comunitária. Será que temos comunicado a Palavra de Deus, de modo a fazer valer a graça do batismo que recebemos? A graça de termos sido renovados pelo Espírito Santo, na experiência do novo Pentecostes?” Reflexão para todos, pois ser discípulos de Jesus é ser amigo dEle, ter intimidade, e comunicar Ele. Há muitos que vivem à margem da vida do Reino de Deus. Percebemos as manifestações das maravilhas do Reino de Deus, mas ainda há muita dor e injustiça em nosso meio. Por isso Deus conta com o testemunho, o entusiasmo de cada servo.

Na profecia de Jonas, ele também foi interpelado pela Palavra de Deus em Nínive; uma cidade grande; mas Jonas docilmente acolheu o chamado do Senhor e percorreu Nínive em 1 dia. O poder da Palavra de Deus é irradiador, e todos os habitantes daquela cidade se convertem para Deus. “A Palavra de Deus é maior que todos nós, ninguém pode se dar o direito de ser o dono da Palavra, sempre seremos servos da Palavra”, falou o sacerdote. Na experiência de conversão, tem-se também a graça de considerar todas as coisas sendo secundárias em relação ao amor de Deus.

São Paulo diz na leitura, (ref. 1Cor 7,29-31) que o tempo está abreviado. São Paulo tem a alegria do encontro pessoal com Jesus, experimentando a plenitude dos tempos. Por isso ele pede que os que tem algo, vivam como se não tivessem, por causa de Nosso Senhor. Dessa pérola preciosa que tivemos a graça de encontrar pelo Espírito Santo que foi dado. Pois se por acaso há mais amor pelas coisas do mundo, do que a Deus; é hora de uma nova conversão.

Para concluir, Pe. Wagner Ferreira recorda que em 2021 é celebrado o ano de São José, a pedido do Papa Francisco. São José era um homem que se comunicava no dia a dia, mas os evangelhos quiseram mostrar São José, como o homem do silêncio. Gestos, decisões, momentos de dúvidas e sonhos; homem discreto e silencioso. José também é uma testemunha da importância do silêncio, em um mundo com tantas vozes, cada vez mais velozes. O silêncio não é a ausência de palavras, mas deve ser preenchido por Jesus, a Palavra. Fazer com que mais pessoas possam se converter ao Reino de Deus, é necessário também no encontro com Jesus, privilegiar momentos de silêncio. “Só nos resta implorar, de São José, a graça das graças: A nossa conversão” Papa Francisco, Carta. ap. Patris code (8 de dezembro de 2020).

São José, rogai por nós!

alt


Leia mais sobre Notícias-ENF2021