Presidente do CONCCLAT partilha sobre a pessoa e presença de Maria

alt

Antecedida por uma bela encenação do fato ocorrido no Cenáculo, destacando a presença da Virgem Maria no dia de Pentecostes, o Ministério de Música começou a oração antes da pregação cantando e pedindo vinde Espírito Santo, por meio da poderosa intercessão de Maria.

A pregadora Maria Eugenia de Góngora (Sheny), da Guatemala, é a atual presidente do Conselho Latino-americano da RCC – CONCCLAT. Com uma ousadia característica da ação do Espírito, Sheny iniciou a pregação com o tema “E com eles estava Maria”.

A pregadora refletiu com os participantes que Maria não sabia como seria o fim daquela decisão de acolher a vontade de Deus, conforme aceito por ela quando disse “eis aqui a serva do Senhor” (cf. Lc 1,38). Mas, passo a passo, as coisas aconteciam e, nos momentos de escuridão e sombras, Deus sempre A sustentava. “Maria, quando encontrou Jesus morrendo, foi capaz de guardar tudo no coração”, refletiu a pregadora.

Maria é serviço

Sheny falou sobre a disposição de Maria em fazer a vontade de Deus em tudo, e reforçou a capacidade da Virgem em ser apressada no cumprimento dessa vontade. “No episódio das bodas de Caná, Maria não ficou indiferente diante daquela situação do casal, mas rapidamente foi a Jesus pedir ajuda. No Evangelho, Maria ensina: façam o que Ele vos disser”.

Falando sobre a doação da Mãe, a pregadora lembrou que quando Nossa Senhora foi encontrar Isabel, Maria foi rapidamente para servir e, aos pés da Cruz, Ela não renunciou, não negou, mas olhou para seu Filho, entregando o próprio sangue pelos pecadores. “Maria foi ao templo nos dar um menino bonito, porém, devolvemos para Maria Jesus na cruz, mas Maria permaneceu firme”, meditou.

Citando a passagem dos discípulos de Emaús (cf Lc 21, 13), Sheny destacou que Maria não estava com aqueles discípulos que estavam cabisbaixos e tristes, porque imaginavam que tudo havia acabado. Falando disso, Sheny concluiu esse pensamento dizendo que no dia após a crucificação de Jesus, conforme ensina uma antiga tradição da Igreja, os discípulos foram até a casa de Maria para dar forças e pêsames pela morte de seu Filho. Mas, encontraram ali forças, pois foi Maria quem os consolou.

Sheny reforçou a necessidade de trazermos Nossa Senhora para nossas vidas, e aceitar a força e unidade geradas por meio Dela. “Em muitas famílias, quando a mãe morre, a família se dispersa. A mãe é capaz de manter a unidade, quando a mãe está presente. Ela reúne, anima, congrega a todos”. Completando, a pregadora destacou que “Maria nos convoca a ficar unidos na oração, foi essa oração que os fez perseverar e esperar a graça de Pentecostes”.

Uma explosão missionária que se deu no Pentecostes

A pregadora motivou os participantes a desejarem uma explosão missionária que se deu no Pentecostes e para isso,utilizou-se da Exortação Apostólica Evangelii Gaudium (número 284),do Santo Papa Francisco, em quediz que juntamente com o Espírito Santo, sempre está Maria no meio do povo. Ela reunia os discípulos para O invocarem (At 1, 14), e, assim, tornou possível a explosão missionária que se deu no Pentecostes. “Ela é a Mãe da Igreja evangelizadora, e, sem Ela, não podemos realmente compreender o Espírito da nova evangelização”, disse Sheny.

Queremos Pentecostes? Sim, queremos!

Para vivermos plenamente a explosão missionária, a pregadora considerou três importantes pontos: Unidade, Oração e Viver sempre em Pentecostes.

Lembrando a pregação do fundador da Comunidade Shalom, Moysés Azevedo, Sheny destacou que “se queremos viver Pentecostes, devemos permanecer unidos. Unidos em Pentecostes veremos a graça de Deus! Unidos, como filhos de Maria”.

Refletindo sobre nossa identidade, Sheny questionou como são chamadas nossas reuniões:  Grupos de Oração. Sheny falou que a oração, característica do Movimento, produz grandes feitos nos filhos de Deus e citou a frase de um de seus amigos: “Quando o povo louva a Deus, coisas maravilhosas acontecem”. 

A presidente do CONCCLAT ressaltou a importância do Rosário, levando em conta que todos os santos da Igreja foram eminentemente marianos. ”Carismáticos, nós devemos amar Maria. Nós sabemos rezar o rosário de todo o coração. Ele não pode ser rezado como um costume ou correndo”, Ainda, declarou: “Eu sou feliz por ser carismática, eucarística, apostólica e mariana”.

Para falar sobre viver sempre em Pentecostes, a pregadora se utilizou de uma fala do Padre Salvador Carrillo, que um dia falou que a RCC é um Pentecostes hoje. “Nada de carismático que diga estou frustrado e triste, não! O Senhor cumpre sua promessa derramando o fogo do alto. O mundo precisa de um Novo Pentecostes, o mundo e a igreja necessita da RCC como uma resposta do Espírito Santo. Nós somos uma resposta do Espírito Santo”, completou.

Pensando na postura da Virgem Maria após a morte e ressurreição de Jesus, Sheny levou os participantes a refletirem que na casa de João e Maria, deveria ter acontecido muitas reuniões de oração, como nosso Grupos, e que Maria continuava animando os discípulos. A pregadora animou as pessoas a continuarem orando para que esses prodígios aconteçam, pela poderosa intercessão de Maria, para que essa “explosão” não seja apenas uma vez, mas, todos os dias.

No final, Sheny apresentou um vídeo da canção guatemaltenha “Yo Quisiera Parecerme A Tí”, de Silvia Mertins, para motivar as pessoas à oração, não pedindo algo a Maria, mas, pedindo a Jesus para nos tornar melhores, a exemplo Dela.

 


Leia mais sobre Eventos nacionais