Jim Murphy: Fazemos tantas coisas para Deus, mas não ficamos com Ele

alt

“Estamos aqui para entender o que o Espirito Santo tem a dizer para este tempo”.

Com essa frase, Jim Murphy, presidente do ICCRS, começou a pregação que tinha como tema “Cartas às Igrejas de Éfeso e Esmirna”. Ele afirmou que temos um preço a pagar se quisermos seguir Jesus, mas também uma grande recompensa. Em seguida falou que algumas pessoas dizem que “queriam viver na época de São Pedro e São Paulo”, mas devemos estar preparados para a glória e dor, porque também existia perseguição na Igreja primitiva e que lá existia glória e sofrimento.

Murphy comentou que a igreja de Éfeso era comprometida, não tolerava mentiras, parecia a Igreja perfeita, mas se esqueceu  do “primeiro amor”. Dessa forma, alertou que isso poderia acontecer e acontece todo o tempo, “fazer a coisa certa e esquecer o primeiro amor”. Contudo, precisamos recuperar esse amor. Porque às vezes podemos fazer algo de maneira profissional e conseguirmos bons resultados, porém, nosso coração se afasta do que nós amávamos.

São coisas boas que fazemos a Deus e aí está o perigo: fazemos coisas para Ele, mas não ficamos com Ele. “E Jesus nos pergunta: você me ama hoje, tanto quanto me amava quando me conheceu”?. Jim ainda lembrou do início da Renovação Carismática, em que o Movimento não era tão organizado em relação a Ministérios, mas quando se encontravam, conversavam sobre Jesus, contavam histórias sobre Ele, rezavam e tudo tinha a ver com Jesus, não falavam sobre Ministérios. Porém hoje, “nós amamos Jesus ou o trabalho que fazemos para Jesus?".

Nós não nos damos conta que mudamos o foco, que alguma coisa mudou, pois o coração do homem transforma devagar e por isso não percebemos as modificações. Assim, temos que pedir que o Espirito Santo ilumine nosso coração e nos revele em que mudamos, e nesse momento não precisamos nos sentir culpados e com vergonha, pois o arrependimento não é só uma atitude, é uma mudança de rumo e é preciso mudar agora, assim como São Paulo nos fala: “a hora é agora”. Então, temos que pedir para o nosso coração ser curado. Levarmos nosso coração ferido e partido para o coração transpassado de Jesus para que o nosso coração seja transformado por Ele. Se fizermo isso, retornaremos à primeira obra, quando passávamos muito tempo com Jesus, com leitura da palavra, oração pessoal e sacramentos. Murphy explicou que a mensagem à Esmirna é diferente, eles passavam por dificuldades e não é diferente hoje. Há uma grande possibilidade de acontecer conosco, de pessoas derramarem seu sangue e morrerem pelo Evangelho, mas Jesus nos fala “não desistam, não se entreguem, eu estarei com vocês nas dificuldades, eu vos dou forças. Temos uma competição e o adversário é forte, mas eu sou mais forte, se ficarem comigo eu vos darei a vitória. Clamem por mim, eu que sou vitorioso concederei a vitória”.

No final da pregação houve um grande momento de louvor, em que fomos atraídos a entregar a Jesus crucificado a nossa vida e nosso serviço. Jesus falava para Vinícius Simões, presidente do Conselho Estadual do Rio de Janeiro, como moção que “Eu vos atraí a mim, ao meu coração, quero mergulhar vocês em meu coração. Eu vos lavo, eu vos purifico e vos dou a vida nova, não ponho limites ao meu amor, porque vos atraí a mim”.


Leia mais sobre Eventos nacionais