A missão da RCC em tempos de distanciamento social

alt

Caríssimos irmãos e irmãs, graça e paz!

Em tempos de distanciamento social, de confinamento em nossas casas por motivo de saúde pública e, portanto, de privação de nossas atividades presenciais, devemos refletir mais detidamente sobre a missão do nosso Movimento Eclesial, sobretudo nestes tempos. Certamente muitos membros da família carismática se perguntam: como cristão, o que eu devo fazer neste tempo? O que o Movimento ao qual eu pertenço se propõe a fazer especialmente durante este período todo diferenciado de distanciamento social? Que tipo de encorajamento as lideranças da RCCBRASIL são chamadas a dar ao povo de Deus neste tempo?

Dentre tantas outras dimensões de missão, ouso aqui propor e refletir sobre cinco delas, visando responder às perguntas acima referidas:

 

1) Retornar à oração, ao discipulado:

 

Como já tive a oportunidade de expressar anteriormente, creio firmemente que o Senhor tenha permitido esta "mudança em nossas agendas", este tempo de distanciamento social para falar profundamente aos nossos corações e nos levar a uma profunda reflexão pessoal, ministerial e social. É evidente que Ele não quis a doença, a morte de tantas pessoas pelo mundo, mas como de todo mal Ele extrai um bem maior, quer que enxerguemos esse período como um tempo forte de conversão e de retorno a Ele.

Deus nos propõe um tempo de profundo silêncio interior, de revisão de valores, de métodos, de relacionamentos, de conduta. O Senhor está renovando em nossos ouvidos espirituais aquele maravilhoso convite que encontramos reiteradamente nas Escrituras: “Vinde à nascente das águas” (Is. 55,1a); “Vinde a mim todos vós que estais cansados” (Mt. 11, 28a); “Vinde e vede” (Jo. 1, 39a); “Vinde, comei” (Jo. 21, 12a). O Senhor nos propõe um retorno decidido à vida de oração, à retomada da intimidade com Ele, à adoração em espírito e em verdade, à retomada de uma espiritualidade ainda mais fecunda, o retorno ao 1º amor. Portanto, este é um kairos (tempo da graça de Deus) que não pode ser desperdiçado, é um tempo para uma nova efusão do Espírito Santo. Afinal, a Escritura nos atesta que em momentos de ameaça o Senhor sempre nos socorreu enviando-nos o Seu Espírito: “Agora, pois, Senhor, olhai para as suas ameaças... Mal acabavam de rezar, tremeu o lugar onde estavam reunidos. E todos ficaram cheios do Espírito Santo...” (At. 4, 29a.31).

Que possamos realmente acolher esta disciplina da parte do Senhor, enxergando este período como um tempo favorável, um tempo de resgate da nossa Identidade, um tempo de graças muitas vezes invisíveis aos olhos humanos e um tempo forte para interceder incessantemente pelas necessidades do mundo.

 

2) Evangelização:

 

Diante do atual cenário sanitário, econômico, social, muitas pessoas estão perdendo a esperança e a alegria; algumas estão entrando numa “crise de fé”. Portanto, mais do que nunca precisamos ser sinais de esperança e de fé no mundo! Jesus nos questiona: “Quando vier o Filho do Homem, acaso achará fé sobre a terra?” (Lc. 18,8). Eis a nossa resposta ao Senhor: “Sim Senhor, nós cremos firmemente em Ti e seremos sinais de esperança e de fé até à Tua volta!”

A Palavra de Deus é poderosa para levantar o homem, para reanimá-lo; ela traz em si uma força de vida, é matéria-prima para gerar novas realidades espirituais. De fato, conhecemos o Senhor e Sua Palavra arde em nossos corações. Portanto, devemos anunciá-Lo com vigor e propagá-la com desassombro! Entretanto, aqui uma exortação necessária: a evangelização deve ser dinâmica, bem preparada, paulatina, equilibrada, programada, na medida certa, com todo o zelo possível e sempre no Poder do Espírito Santo.

Como evangelizar em tempos de Pandemia? Temos acompanhado e motivado iniciativas maravilhosas, tais como: Grupos de Oração online, Lives de 1º anúncio e também Lives de cunho formativo, Encontros Estaduais e Diocesanos de evangelização online, vídeos musicais, teatrais e de danças de evangelização, momentos de oração online, etc. Isso é evangelizar!

Podemos também evangelizar em nossas próprias casas com criatividade do Espírito Santo, podemos evangelizar nossos parentes, amigos e vizinhos por telefone ou por meio de aplicativos de conversa, podemos evangelizar escutando rádio em volume razoável e cantando os louvores do Senhor, podemos evangelizar utilizando nossas Redes Sociais para o bem e para a propagação da Boa-Nova. Podemos ainda evangelizar ajudando financeiramente iniciativas e obras missionárias, inclusive o Escritório Nacional da RCCBRASIL. Isso também é evangelizar!  

 

3) Solidariedade:

 

São Paulo assim nos exorta: “Que a vossa caridade não seja fingida” (Rm. 12,9). Neste tempo, pois, a caridade em nós precisa se tornar ainda mais manifesta. Aqueles que tem condições devem ajudar os mais necessitados ao seu redor são particularmente chamados a fazê-lo, pois a Escritura também narra como um dos frutos de Pentecostes que “não havia entre eles nenhum necessitado” (At. 4, 34a). Refiro-me aos idosos de nossas famílias e mesmo vizinhos; às pessoas em situação de rua, extremamente vulneráveis ao Coronavírus; aos desempregados que estejam passando apuros para alimentar suas famílias; aos profissionais autônomos e informais que, em geral, estão passando por maus bocados; aos profissionais de saúde que, exaustos sob diversos aspectos, necessitam de nosso apoio...

E, nesse sentido, convém citar trecho do discurso do Santo Padre aos participantes da Conferência Internacional dos Líderes da Renovação Carismática Católica (por ocasião da instalação do CHARIS – Serviço Internacional para a Renovação Carismática Católica), em 08 de junho de 2019: E que sirva aos pobres, aos mais carentes de qualquer necessidade, física e espiritual. Isto não significa que, como alguém pode pensar, agora a Renovação se tornou comunista. Não, tornou-se evangélica, isto está no Evangelho.

 

4) Pastoreio efetivo:

 

Pastorear é guiar, conduzir, motivar a marcha, levar aos campos verdejantes. Confunde-se também com apascentar, isto é, alimentar, cuidar, acompanhar de perto, zelar pela vida e bem-estar do outro.

De modo especial neste tempo, as lideranças da RCCBRASIL são chamadas a exercer este pastoreio efetivo, de modo que ninguém esmoreça, enfraqueça a marcha ou pare de caminhar. As ovelhas devem ser acompanhadas mediante contatos onde se deve estabelecer relações de amizade, de proximidade, de escuta e de ajuda, mensagens no poder do Espírito, acompanhamento efetivo quanto à participação nos Grupos de Oração online, nos Congressos online proporcionados pela RCCBRASIL, etc.

 

5) Testemunhar o nosso senso de pertença e a nossa comunhão irrestrita com a Mãe Igreja: 

 

A Renovação Carismática Católica é Igreja, com a Igreja, da Igreja, para a Igreja e jamais contra a Igreja! Devemos testemunhar nossa comunhão filial com nossos amados Bispos, legítimos pastores e sucessores dos Apóstolos, bem como com nossos Párocos, Vigários, irmãos e irmãs leigos, comunidades, etc.

Em sua oração sacerdotal Jesus pede ao Pai que nós sejamos um para que o mundo creia (cf. Jo. 17,21) e um dos frutos de Pentecostes narrado no Livro dos Atos dos Apóstolos é exatamente a comunhão da Igreja: “Todos os fieis viviam unidos...Unidos de coração frequentavam todos os dias o templo... louvando a Deus e cativando a simpatia de todo o povo. E o Senhor cada dia lhes ajuntava outros que estavam a caminho da salvação” (At. 2, 44a.46-47).

Certamente poderíamos elencar outras dimensões da missão da RCC, sobretudo em tempos de distanciamento social, mas cremos que atentarmos fielmente para estas cinco dimensões, estaremos fazendo a Vontade de Deus.

Veni Sancte Spiritus!

 

Vinícius Rodrigues Simões
Presidente do Conselho Nacional da RCCBRASIL
Grupo de Oração Jesus Senhor

 


Leia mais sobre Conselho Nacional