Ser poeta é ser profeta

 

Desde a antiguidade até hoje são inúmeros os registros de pessoas que, antes mesmo da invenção da escrita, já criavam versos para deleite de nossos ouvidos.

Hoje, dia 04 de outubro, ao celebrarmos o dia do Poeta queremos celebrar essas pessoas que colocam seu dom ao serviço do outro. Sim, porque a poesia é para o outro. Um autor não escreve nada para si. Ele oferece ao outro aquilo que de sua alma salta. Escrever é fazer brotar das palavras sentimentos que o coração reserva e “onde está o teu tesouro, aí está o teu coração” (cf Mt 6, 21).

Por isso alguns poetas conseguem nos levar para um encontro pessoal com Deus. E talvez você esteja se perguntando: mas eu nunca li um livro de poemas, ou nunca li uma poesia que falasse de Deus. Eu quero dizer que você está completamente enganado. Basta voltamos nossos olhos para a Palavra de Deus onde podemos encontrar versos como este

“O amor é forte, é como a morte. Suas chamas são chamas de fogo, faíscas de Deus no mundo. As águas da torrente jamais poderão apagar o amor, nem os rios afogá-lo” (Ct 8,6-7)

Na bíblia estão livros escritos totalmente em versos. São lindos poemas de louvor e adoração a Deus como é o caso do Livro dos Cânticos, de onde retiramos os versos acima e também do certamente conhecido Livro dos Salmos.

O poeta é aquela pessoa que pode, pela sua intimidade com Deus, evangelizar através de seus versos. Deus fala ao seu coração e o poeta transforma essa inspiração em versos. Poesia é palavra que testemunha a fé.

Se ao deparama-nos com um poema inspirado por Deus sentimo-nos mais próximos dele, quem dirá um livro todo. Como é o caso de Dante Alighieri com seu célebre livro “A Divina Comédia” que narra uma jornada espiritual entre o Inferno, o Purgatório e o Paraíso onde o personagem principal tem o nome do próprio autor.

 O Papa Francisco na Carta Apostólica “Esplendor da Luz Eterna” (Candor Lucis Aeternae) em memória ao VII do Centenário da morte do autor, chama-o de “profeta de esperança e testemunha do desejo humano de felicidade” e convida a todos para olharmos para este homem que soube compreender a profundidade do mistério de Deus e transformou em versos, moldando as palavras para que, até hoje, depois de centenas de anos nos façam refletir sobre a vida humana e sobre as belezas da eternidade.

Hoje ainda celebramos a festa litúrgica dedica a São Francisco de Assis que, também foi poeta, e deu seu testemunho não só com a vida de despojamento e dedicação a Deus, mas como os versos abaixo:

 

Tu és o Santo, Senhor e Deus único
Que operas maravilhas!
Tu és o forte! Tu és o grande! Tu és o Altíssimo!
Tu és o Rei onipotente, 
Santo Pai, Rei do céu e da terra!
Tu és o Trino e Uno
Senhor e Deus, Bem universal!
Tu és o Bem, o Bem universal,
o Sumo Bem, Senhor e Deus vivo e verdadeiro!
Tu és a delícia do amor!

 

            Que possamos, na totalidade de nossos dons, servir ao Senhor cada vez mais com palavras que sirvam para restaurar o lugar de Deus no coração da homem e que sejamos poetas do amor do Pai pela humanidade e nos versos da vida sejamos a rima de uma canção fraterna e universal!

 

Edson Flávio Santos

Grupo de Oração Cristo Raio de Luz

Diocese de Cáceres-MT

 

 


Leia mais sobre Ministérios