ICCRS celebra duas décadas de Reconhecimento Pontifício em Roma

altEm setembro, o ICCRS comemorou o 20º aniversário da aprovação pontifícia de seus estatutos. Segundo o site oficial, foi uma grande graça para o ICCRS na pessoa da presidente, Michelle Moran, e do diretor, Oreste Pesare, fazer esta celebração na Santa Sé.

A comemoração começou com a Celebração Eucarística na Basílica de Santa Marta, em Roma, presidida por sua Eminência Cardeal Joseph Cordes, e foi seguida por uma recepção no Hall Pio XI no Palácio São Calisto.

Cerca de 150 pessoas celebraram o trabalho do ICCRS ao longo desses 20 anos que, como expresso nos seus Estatutos, tem foco no “serviço e promoção da RCC em todo o mundo, sob a ação do Espírito Santo, em estreito contato com a Santa Sé” (art 1).

Nos atos comemorativos, estavam presentes importantes figuras da história do ICCRS que deram breves testemunhos e fizeram um agradecimento por esta comemoração tão significante: Cardeal Joseph Cordes, antigo conselheiro Episcopal do ICCRS, Charles Whitehead, antigo Presidente do ICCRS, Nancy Kellar, antigo diretor do ICCRS, e Matteo Calisi, antigo vice-presidente do ICCRS.

Também marcaram presença alguns membros do Vaticano, membros da Fraternidade Católica, membros das comunidades carismáticas italianas, participantes do V Instituto de Formação para Liderança, voluntários e amigos do ICCRS. Outras pessoas, no entanto, participaram de maneira espiritual, transmitindo, por diversos meios, seus bons desejos e promessas de orações pela missão do ICCRS.

Como é o caso de Claude Lopez, antigo diretor do ICCRS, que escreveu uma mensagem aos membros do ICCRS:

Queridos irmãos e irmãs do ICCRS,

Um dos dias mais importantes e memoráveis ​​de minha vida foi em janeiro de 1985, quando Miralda e eu desembarcamos em Roma para nos juntar à pequena e fiel dedicada equipe de serviço da RCC mundial.

Logo descobri a importância significativa de servir a Igreja através da RCC, e manter-se unido a ela, compartilhando sua fé, obedecendo a suas leis e colaborando na sua missão, uma graça única e um privilégio para mim.

Eu testemunhei, semana após semana, dia após dia, hora após hora, o serviço e trabalho incondicional, tão amorosamente e livremente oferecido e dado pela pequena equipe do escritório e voluntários, 10 a 14 horas dia, seis dias por semana e muitas vezes manhãs de domingo. Esta experiência de humildade sempre me faz lembrar São Francisco de Assis.

Costuma-se dizer que a Renovação Carismática não é tanto um movimento, mas é uma experiência, uma espiritualidade, ou melhor ainda, um modo de vida baseado na Bíblia. À medida que a Renovação Carismática cresce e se espalha em todas as partes do mundo, muitas vezes ouvimos relatos de que as pessoas estão experimentando livremente o Espírito Santo.

Então eu digo amém para a declaração de Frei Cantalamessa: "A Renovação Carismática é para toda a Igreja e não apenas uma parte específica da mesma, e por isso deve permanecer como tal".

De fato, agradecemos a Deus pelas seguintes declarações de apoio, encorajamento e as bênçãos recebidas de três papas:

a) Em 1975, o Papa Paulo VI declarou suas bênçãos sobre a Renovação Carismática , acolhendo 7.000 participantes na Praça de São Pedro, em Roma.

b) No dia 30 de abril de 1984, Papa João Paulo II dirigiu a quinta Conferência Internacional de Líderes: “Peço a todos os membros da Renovação Carismática para continuar a clamar junto comigo em alta voz para o mundo”... “abram as portas ao Redentor”.

c) Em 14 de março de 1992, mais uma vez Papa João Paulo II, em um discurso na reunião dos membros do Conselho do ICCRS em Roma disse: “Como vocês vão comemorar o 25º aniversário da Renovação Carismática Católica, de bom grado, me junto a vocês em oração de agradecimento a Deus pelos muitos frutos que tem nascido para a vida da Igreja. O surgimento da Renovação após o Concílio Vaticano II foi um dom particular do Espírito Santo à Igreja".

d) Em 03 de junho de 2006, Papa Bento XVI, por ocasião da véspera de Pentecostes, disse: "Os Movimentos eclesiais querem e devem ser escolas de liberdade e vida”... "Peço-lhe para colaborar ainda mais, muito mais, no ministério apostólico universal do Papa, abrindo as portas a Cristo".

Tais palavras afirmativas e encorajadoras certamente ajuda a dissipar qualquer timidez, dúvida ou até mesmo constrangimento sobre o que nós somos.

Para terminar, gostaria de me referir a um dos muitos documentos de ensino do papado de João Paulo II, Christifideles Laici, de 1989, que tratou da vocação e do ministério dos leigos. O Papa ressaltou que, como tal, os leigos compartilham a "missão sacerdotal, profética e real de Cristo".

Outro a enviar uma mensagem foi Ralph Martin, primeiro presidente e diretor do ICCRS, assista no vídeo.

Glórias sejam dadas ao nosso Senhor que “nos marcou com seu selo e deu aos nossos corações o penhor do Espírito” (2 Cor 1,22).

Acesse para saber mais sobre o 20º Aniversário da Aprovação Pontifícia do ICCRS.

 

Fonte: ICCRS


Leia mais sobre ICCRS